Rádio Observador

Redes Sociais

Instagram deixa de exibir gostos nas publicações brasileiras

Ainda é só um teste e não está a afetar todas as pessoas. O Brasil é o segundo país onde a rede social decidiu não mostrar os gostos dos utilizadores. Seguem-se mais cinco.

A proposta visa aumentar a reflexão sobre os efeitos na saúde mental de jovens, os maiores adeptos das redes sociais, e demonstrar a sua preocupação com o bem-estar dos utilizadores

AFP/Getty Images

Os gostos nas publicações presentes no Instagram foram “escondidos” nesta quarta-feira, no Brasil. Para já é só um teste e não abrangeu todos os utilizadores. O país é agora o segundo em que a rede social ocultou os gostos, depois do Canadá. Mais cinco países passarão pelo mesmo: Austrália, Irlanda, Itália, Japão e Nova Zelândia, anunciou a empresa num post no Twitter.

A proposta criada pelo Facebook, proprietário da aplicação Instagram desde 2012, visa aumentar a reflexão sobre os efeitos na saúde mental de jovens, os maiores adeptos das redes sociais, e demonstrar a sua preocupação com o bem-estar dos utilizadores.

“Nós queremos que os teus colegas se foquem nas fotos e vídeo que publicas, não em quantos ‘gostos’ ela atinge”, frisou o Instagram numa publicação no Twitter. Adicionou ainda que é possível cada um ter acesso à quantidade de reações que os seus posts atingiram numa ferramenta criada exclusivamente para esta contagem, sendo acessível apenas para os autores dos posts.

Um estudo feito em maio de 2017 pela instituição britânica Royal Society for Public Health concluiu que a aplicação Instagram “é a pior para a saúde mental de jovens”, sendo mais viciantes que “álcool e cigarro”. Depois da publicação do relatório, o Information Commisioner’s Office do Reino Unido recomendou a exclusão da ferramenta de contagem de gostos na rede social.

Recentemente, também a conceituada revista norte-americana The Atlantic alertou para a existência de perfis de influenciadores que publicavam conteúdos que diziam ser patrocinados por empresas e não o eram, já que o facto daria mais prestígio aos seus perfis.

Com a pressão das organizações de saúde e a crescente discussão na internet sobre os efeitos da utilização das redes sociais, o Instagram decidiu eliminar a ferramenta de contagem, o que fará progressivamente.

A medida, aplicada nesta quarta-feira no Brasil, apesar de não ter atingido todos os utilizadores, causou diversas reações nas redes sociais brasileiras.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Privacidade

Gratuito é mentira

João Nuno Vilaça

Que estamos a ceder em troca destas aplicações e serviços gratuitos? A nossa alma? Quase. Estamos a ceder os nossos dados, que são extremamente valiosos e pessoais. São o recurso mais valioso do mundo

Redes Sociais

Uma bandeira que vale mais do que a fama

P. José Maria Brito, SJ
149

O que terá o fundador da Companhia de Jesus a ver com o Team Strada? Poderá ele dizer-nos alguma coisa sobre a educação dos afetos? Leitura dum tema da atualidade partindo da espiritualidade inaciana

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)