Em 2018 assinalou com a devida pompa o meio século de vida da sua marca. A 14 de outubro deste ano, mais um marco, agora no trajeto pessoal, quando o famoso designer soprar 80 velas. No mês seguinte, mais um momento para a posteridade. A 12 de novembro estreia-se na HBO “Very Ralph, o documentário que revê todas as décadas que marcaram o percurso de Ralph Lauren, um legítimo ícone da moda, design e estilo de vida norte-americano. Tão popular dentro de portas como uma das bandeiras mais exportadas além fronteiras.

“Very Ralph” revê as origens e o crescimento no Bronx do miúdo que nasceu no seio de uma família numa situação confortável, os estudos em Economia, o começo da carreira entre gravatas, e o otimismo que o levou a criações como a célebre etiqueta de menswear POLO, criada em 1968 (e as raízes do estilo preppy descontraído para o menino e para a menina).

NO seu escritório, em 1971 (© Zachary Freyman/Condé Nast via Getty Images

Produzido e realizado por Susan Lacy, o filme aborda ainda o seu casamento de 50 anos com Ricky Anne Loew-Beer, e conta com entrevistas com o próprio designer. Dos desafios dos primeiros tempos às inovações no design e publicidade, a crónica de mais de seis décadas na indústria da moda encontra-se com testemunhos de alguns dos amigos mais próximos e familiares de Lauren, casos do entretanto desaparecido Karl Lagerfeld, Naomi Campbell, Anna Wintour, Calvin Klein, Hillary Clinton, Martha Stewart, Diane von Furstenberg, e Jessica Chastain.