Puxando o filme atrás, ainda com Rui Vitória no comando do Benfica, o primeiro encontro dos encarnados em termos nacionais teve uma marca grande de Pizzi, que apontou um hat-trick em 45 minutos frente ao V. Guimarães no arranque do Campeonato. Uma casualidade? Nada disso. Nem pelo que tinha feito no passado, nem pelo que faria no futuro.

Só no Campeonato, Pizzi conseguiu a melhor temporada de sempre com 13 golos e 18 assistências, tornando-se uma das grandes figuras da prova e do triunfo do Benfica na principal prova nacional a par de Bruno Fernandes. Agora, em mais um duelo com o médio e companheiro de Seleção, voltou a levar a melhor. E de novo a deixar marca no resultado final.

Com dois golos e uma assistência na final da Supertaça, Pizzi aumentou para seis golos e três assistências os números da influência nos primeiros jogos do Benfica nas últimas quatro temporadas. Única alteração? Envergar esta noite a braçadeira de capitão, depois de Jardel ter começado a partida no banco de suplentes.

Em paralelo, o internacional português voltou a marcar dois ou mais golos no encontro inicial da temporada, depois dos três golos ao V. Guimarães na primeira jornada do Campeonato de 2018/19.

“O mais importante é enaltecer o trabalho da equipa desde o início. O Sporting tem uma bela equipa, mas fomos superiores desde o início. Quero dar todos os parabéns a toda a equipa, não só pelos golos mas pela exibição coletiva e pela qualidade que apresentamos”, comentou Pizzi no final do encontro à RTP, na zona da flash interview. “Nunca é fácil. Defrontámos uma grande equipa, com excelentes jogadores, mas a nossa forma de estar dentro do campo, ao jogar fácil, com rapidez e eficácia, tornou tudo mais fácil. Esperemos que este seja o primeiro de muitos troféus durante este ano”, acrescentou.