Rádio Observador

Cultura

Monty Python: os 50 anos comemorados ao longo de um mês pelo British Film Institute

567

"It's... Monty Python at 50" celebra os 50 anos do genial grupo inglês, de 1 de setembro a 1 de outubro, em Londres. Eurico de Barros fala sobre o vasto e suculento programa das festas

Os Python em "Monty Python e o Cálice Sagrado", a primeira longa-metragem do grupo, rodada por Terry Jones e Terry Gilliam em 1975

Autor
  • Eurico de Barros

Uma maratona de todos os episódios de “Os Malucos do Circo” (“Monty Python’s Flying Circus”) ao longo de um fim de semana; todos os home movies em 8mm feitos por Michael Palin ao longo da rodagem da série, e com os restantes Python nos Barbados, enquanto escreviam o argumento de “A Vida de Brian”; a série cómica de 1967 “Do Not Adjust Your Set”, que lançou as carreiras de Palin, Eric Idle, Terry Jones e Terry Gilliam; a integral de “Fawlty Towers”; a exibição do documentário “Michael Palin & John Cleese’s Pick of Python Influences”; a exposição “Monty Python Explodes!”, a abarrotar de documentos, fotografias e outro material relativo aos Monty Python. Estas são apenas algumas iguarias de um muito mais vasto e suculentíssimo menu com que o British Film Institute (BFI) vai assinalar, em Londres, entre 1 de setembro e 1 de outubro, os 50 anos dos Monty Python.

Foi no dia 5 de outubro de 1969 que o primeiro episódio de “Os Malucos do Circo” foi exibido na BBC e, com esta iniciativa, batizada “It’s… Monty Python at 50”, o BFI pretende comemorar a data e esgotar o tema Monty Python, mostrando tudo o que fizeram antes, durante e depois da série, em grupo, colaborações e a solo. Disseram os organizadores desta enorme e completa comemoração, Justin Johnson e Dick Fiddy: “Estamos encantados por partilhar aquele que é sem dúvida um dos ciclos mais absurdos já apresentados no BFI, mas ainda mais encantados por ter sido posto de pé com a ajuda dos Python e assinalado com o seu selo de ouro de patetice. Com este ciclo do 50º aniversário, os Python são agora reconhecidos com sendo 100%  respeitáveis e garantimos que o BFI Southbank será a casa da irreverência cómica e da vulgaridade decente totalmente britânicas, entre 1 de setembro e 1 de outubro, após a qual voltará a exibir coisas apenas com Le, La ou Les no título”.

O BFI fez questão ainda de enfatizar que “It’s… Monty Python at 50” será “a maior e mais pateta comemoração” do génio de John Cleese, Terry Jones, Michael Palin, Graham Chapman, Eric Idle e Terry Gilliam, “da série e das suas muitas raízes, ramificações e derivações. ‘Albatrossssss!’”. Entre vários outros acontecimentos paralelos ao ciclo, será lançada em DVD e Blu-ray uma edição restaurada de “Os Malucos do Circo”, apresentado o novo programa de rádio dos Monty Python, com produção executiva de Michael Palin, e haverá uma tentativa para bater o recorde mundial de Mais Pessoas Juntas no Mesmo Sítio Vestidas de Gumbys. (Será obrigatório gritar: “Mybrainhurts, Mr. Gumby! Mybrianhurts!”).

“Será um mês cheio de absurdo, piadas, canções, génio e peixe”, declararam os Python, acrescentando: “Os Python sobreviveram porque  vivemos num mundo cada vez mais pythoniano. A extrema patetice parece ser agora mais relevante do que foi alguma vez”. Eric Idle adiantou ainda que durante estas celebrações do meio século do grupo, os Monty Python irão tomar de assalto a BBC com o patrocínio da carne enlatada Spam.  Instado a comentar a programação de “Its… Monty Python at 50”, John Cleese respondeu: “Piss off!”.

Mais informações sobre o programa do BFI aqui

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)