A resposta do PS não tardou em chegar. Poucas horas depois de Rui Rio ter apresentado as propostas que o PSD vai inscrever no seu programa eleitoral para reformar o sistema político, Carlos César recorreu ao Facebook para criticar a medida dos sociais-democratas. E começou logo ao ataque — ou não fosse esta a primeira frase da publicação do socialista: “Rui Rio retomou hoje a proposta velhinha do PSD“.

O presidente do PS referia-se a uma das várias medidas apresentadas esta terça-feira de manhã pelo presidente do PSD na sede do partido. Mais concretamente a uma antiga ideia de Rui Rio que passa por fazer com que os votos em branco tenham algum tipo de repercussão no desenho do Parlamento. Os sociais-democratas defendem que os círculos eleitorais sejam mais pequenos nas legislativas e sugere que a tão badalada redução do número de deputados se faça em função dos votos em branco. Sem fechar as propostas em termos concretos, apresentando estas ideias como estando abertas ao diálogo, Rui Rio explicou que se tratam de “um contributo para ver a melhor maneira de reduzir o número de deputados. Pode ser uma forma de combater a abstenção”.

Rio quer um “murro na mesa” para reformar sistema político e propõe menos deputados

Apesar de ser apenas uma ideia que o próprio líder laranja caracteriza como o pontapé de saída da discussão em torno da redução do número de deputados, Carlos César quis matar a ideia mesmo antes de estar plasmada no programa eleitoral do PSD. Nas palavras do presidente dos socialistas, a proposta, “além de não conseguir resistir a alguma demagogia que desvaloriza as instituições e os titulares de cargos”, incorre “em graves problemas”. E argumenta: “Diminuiria a representatividade dos pequenos partidos, prejudicando o pluralismo do parlamento, dificultaria a representação dos territórios do interior, que seriam penalizados no preciso momento em que têm de ser valorizados, e baixaria a capacidade de realizar com qualidade o trabalho parlamentar, cuja exigência tem aumentado ao longo dos anos”.

Rui Rio pedia diálogo mas Carlos César parece já ter fechado essa porta. Até porque, lembra na mesma publicação, o PS também apresenta a estas eleições um conjunto de medidas que visam reformar o sistema político. Aliás, o socialista ataca o PSD  por não usar como ponto de partida precisamente a proposta do PS. “É de lamentar que, ao invés de procurar consensos, a partir, por exemplo, da proposta do PS de círculos uninominais de candidatura que asseguram mais proximidade sem prejudicar a proporcionalidade do sistema, o PSD insista na intransigência que não dá frutos alguns“, escreveu Carlos César.

Na imagem que escolheu para ilustrar a publicação, Carlos César aproveitou para lançar mais uma farpa. O presidente do PS optou por uma fotografia onde se vê uma bandeira do PSD desgastada pelo tempo e pelo vento — ou “velhinha”, como disse o presidente do PS sobre a proposta de Rio — içada a meia-haste.