Há uma característica dos novos iPhone que está a causar mais repulsa do que os até 1.679 euros que os telemóveis vão custar no mercado português. Estamos a falar das câmaras traseiras. Centenas de pessoas queixaram-se nas redes sociais que as três lentes dos novos smartphone formam um padrão que incomoda quem sofre de tripofobia, o medo irracional dos padrões com pequenos buracos que existem, por exemplo, nos favos de mel ou na flor de lótus. Para algumas pessoas, é apenas desagradável. Mas noutras pode, até, causar vómitos.

Em declarações à CNN, Geoff Cole, cientista visual da Universidade de Essex, explica de onde vem esta fobia: “A fobia surge em parte porque os estímulos indutores compartilham características visuais básicas com as de organismos perigosos”. É por isso que a maioria das pessoas torce o nariz às imagens de pequenas bolhas ou buracos em tecidos orgânicos: “A composição espectral muito original, de brilho e contraste, é algo que não se encontra na natureza, exceto em animais venenosos”, concluiu Geoff Cole.

Geoff Cole foi o primeiro cientista a conduzir um estudo mais extenso sobre a tripofobia, um problema que não consta na lista de doenças da Organização Mundial de Saúde. Segundo ele, o novo iPhone 11 Pro “pode muito bem causar tripofobia” porque “tudo pode fazê-lo desde que tenha um padrão, até mesmo o chocolate com ar ou as luzes de travagem de um Peugeot 206”: “A câmara possui os recursos críticos necessários para causar uma resposta porque é composta por um conjunto de furos”, descreveu o investigador ao jornal Metro.

Segundo ele, esta é uma fobia que pode ser induzida pelo ambiente social em que alguém se insere: “As pessoas não nascem com medo de ratos, aranhas ou baratas, mas podem ver o medo dos pais quando são crianças em desenvolvimento e herdam a fobia. No caso das baratas, por exemplo, a maior parte das pessoas que tem medo delas nunca teve uma má experiência com os bichos. Aqui acontece o mesmo”, acrescenta.

À BBC News, Geoff Cole garante que “todos temos tripofobia”, mas algumas pessoas sofrem mais com ela de que outras. “Durante as minhas investigações recebi chamadas de pessoas que me diziam: ‘Vi um padrão que me incomodou. Tenho de me sentar um bocado. Acho que não consigo ir trabalhar’“. “Pode ser bastante incapacitante”, garante o cientista.

Num artigo publicado na Gizmodo, o jornalista Jennings Brown diz ter “passado a tarde inteira com náuseas” quando encontrou as primeira imagens dos novos telemóvel Apple nas redes sociais: “Aqueles três círculos pretos. Que monstros pensaram que isto era boa ideia? Entendo que a Apple quisesse por três lentes, mas colocadas tão juntas criam uma imagem profundamente perturbadora de terror tripofóbico”, queixa-se.

A Apple ainda não comentou as reações dos tripofóbicos ao novo design dos telemóveis.