O México concedeu esta segunda-feira asilo político a Evo Morales, que renunciou ao cargo de Presidente da República da Bolívia, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros mexicano, Marcelo Ebrard.

“A ministra do Interior do México, Olga Sanchez Cordero, decidiu conceder asilo político a Evo Morales. A sua vida e integridade física estão ameaçadas”, disse Ebrard durante uma conferência de imprensa na Cidade do México.

Marcelo Ebrard tinha anunciado no domingo, na sua conta da rede social Twitter, que o México oferecera asilo a Evo Morales depois de ter recebido na embaixada do México em La Paz funcionários e deputados bolivianos.

“Informo que recebi uma chamada do presidente Evo Morales, que respondeu à nossa oferta, e solicitou verbal e formalmente o pedido de asilo no nosso país”, acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Evo Morales renunciou ao cargo de Presidente da República da Bolívia no domingo, após quase 14 anos no poder, numa declaração transmitida pela televisão do país.

Morales demitiu-se depois de os chefes das Forças Armadas e da polícia da Bolívia terem exigido que abandonasse o cargo para que a estabilidade e a paz possam regressar ao país.

A Assembleia Legislativa da Bolívia recebeu hoje a carta de renúncia de Evo Morales, em que o Presidente diz esperar que o seu gesto evite mais violência e permita “paz social” no país que governou durante 13 anos.

A Bolívia sofre uma grave crise desde a proclamação de Evo Morales como Presidente para um quarto mandato consecutivo nas eleições de 20 de outubro, uma vez que a oposição e os movimentos da sociedade civil alegam que houve fraude eleitoral.