Os bailarinos portugueses Diogo Bettencourt, Pedro Silveira e Catarina Pires vão competir na 48.ª edição da competição internacional de bailado Prix de Lausanne, que decorrerá em fevereiro de 2020 na Suíça.

Entre os 84 bailarinos selecionados para a 48.ª edição contam-se três portugueses: Diogo Bettencourt, da DNA N’Arts School, em Coimbra, Pedro Silveira, da Escola Artística de Dança do Conservatório Nacional, em Lisboa, e Catarina Pires da Tanz Akamedie Zürich, em Zurique, na Suíça, de acordo com informação disponível no ‘site’ oficial da competição.

Os 84 bailarinos selecionados, 51 dos quais raparigas e 33 rapazes, são provenientes de 27 países.

Entre os selecionados estão também seis bailarinos brasileiros: Gabriel Barbosa, da escola Balé Isabel Gusman, Rui César Cruz, do Grupo Cultural de Dança Ilha, Rachel Quintão do ATM Centro Cultural de Dança, e Ana Luísa Negrão, João Vítor Santana e Vítor Augusto, do Itego em Artes Basileu França, tudo estabelecimentos de ensino no Brasil.

A 48.ª edição do Prix Lausanne decorre de 2 a 9 de fevereiro em Montreux, na Suíça. As finais estão marcadas para o dia 8 de fevereiro.

O Prix de Lausanne, um dos mais importantes galardões dedicados à dança, foi criado em 1973 e é gerido pela Fondation en Faveur de l’Art Chorégraphique.

Na 47.ª edição, que decorreu em fevereiro deste ano, o português Alexandre Joaquim, aluno do Centro Internacional de Dança Rosella Hightower, em Marselha, França, foi um dos oito premiados.

Aos 18 anos, Alexandre Joaquim venceu o prémio da Fundação Coromandel. Além de Alexandre Joaquim tinha passado à fase final do prémio um outro bailarino português: António Ferreira, de 15 anos, aluno da Escola de Dança do Conservatório Nacional.