O Presidente da República anunciou esta sexta-feira, numa nota publicada no site da Presidência, que vai passar “a noite de 31 de dezembro para 1 de janeiro com a população do Corvo, na mais pequena das ilhas dos Açores do grupo mais ocidental do território nacional”. É de lá, informa a nota de Marcelo Rebelo de Sousa que “será transmitida no dia 1 de janeiro a habitual mensagem de Ano Novo”. O Corvo tem menos de 500 habitantes e apenas 17 km2 de área.

Já o presidente da câmara municipal do Corvo, José Alves da Silva, confessa à Rádio Observador que foi “apanhado” de surpresa. “Não fazia a mínima ideia, está a ser uma novidade”, afirma o autarca. José Alves da Silva não vê, no entanto, nenhum problema em não saber nada até agora e que “obviamente” o Presidente contará com “disponibilidade total da minha parte”. Já que o que o Presidente irá fazer, será o Presidente a decidir.

O autarca do Corvo acrescenta ainda que terá um prazer enorme em receber o Presidente o melhor que puder e que provavelmente a intenção de Marcelo é “estar com as pessoas e é isso que nós temos para dar. Ele é o presidente dos afetos, penso que os corvinos saberão retribuir da mesma forma”.

Na ilha as celebrações são pequenas com o restaurante O Caldeirão responsável pela ementa que, segundo José Alves da Silva, deverá contar “com 5 ou 6 pratos diferentes com tudo do bom e do melhor que há no Corvo”. Um dos pratos típicos da ilha, as couves da barça, que consistem em couves e batatas cozidas com carne de porco salgada, também cozida, não devem faltar. Depois, a festa segue para o snack-bar BBC que, juntamente com o restaurante, está encarregado da festa de Ano Novo.

De 2018 para 2019, Marcelo Rebelo de Sousa passou o Ano Novo em Brasília, no Brasil,  onde assistiu à tomada de posse do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro a 1 de janeiro. Na noite do reveillon, Marcelo teve um jantar na embaixada portuguesa na companhia de várias figuras dos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), incluindo o presidente de Cabo Verde.

Na passagem de ano de 2017 para 2018, o Presidente da República tinha previsto fazer visitas nos dias 31 de dezembro de 2017 e 1 de janeiro de 2018 a localidades afetadas pelos incêndios de junho e outubro desse ano. Dias antes teve problemas de saúde que perturbaram ligeiramente o programa, já que teve de ser operado a uma hérnia.