A Câmara do Porto anunciou esta sexta-feira que as obras de requalificação do Mercado do Bolhão cujo término estava previsto para maio de 2020, vão ser prolongadas por mais um ano, devido à necessidade de alterar “o método construtivo”.

“Depois de apuradas e sedimentadas do ponto de vista técnico todas as circunstâncias, a obra do mercado do Bolhão não irá durar os 24 meses previstos no concurso, mas será prolongada por mais 50% do tempo”, revelou hoje o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, numa conferência de imprensa esta tarde. A 15 de maio de 2018, a Câmara divulgou na sua página da Internet que a obra de restauro do edifício do Mercado foi naquele dia adjudicada e que as “primeiras máquinas” já tinham entrado no edifício centenário, prevendo-se que a reabilitação fique pronta dentro de “dois anos”.

Obras no Bolhão. “Pior Natal de sempre” traz milhares de euros de prejuízo aos comerciantes

O atual projeto de recuperação do Bolhão, classificado como Monumento de Interesse Público em 2013, é a quarta iniciativa da Câmara do Porto para requalificar o espaço centenário ao longo dos últimos 30 anos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Anunciado a 22 de abril de 2015, durante o primeiro mandato do independente Rui Moreira na Câmara do Porto, o atual restauro do Mercado do Bolhão foi adjudicado em novembro, mas foi preciso esperar por março para obter o último visto do Tribunal de Contas. A primeira parte da modernização, orçada em 800 mil euros, arrancou em agosto de 2016, com o desvio de infraestruturas e de uma linha de água para as ruas Sá da Bandeira e Fernandes Tomás.

Obras no Bolhão. Câmara do Porto disponibiliza cerca de 360 mil euros para compensar prejuízos de comerciantes