A greve dos trabalhadores da Portway já levou ao cancelamento de 39 voos com chegada ou partida nos aeroportos nacionais, este domingo, confirmou ao Observador o presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC), Fernando Simões.

No terceiro e último dia da paralisação, a adesão é de 90% no Aeroporto de Lisboa. Nos aeroportos do Porto e Faro, a adesão é de 70% e, no Funchal, metade dos trabalhadores aderiram à greve. Nos casos em que os voos não são cancelados, têm-se registado atrasos de, em média, 30 a 40 minutos. Segundo outro dirigente do SINTAC, Nuno Silva, em declarações ao Observador, a entrega de bagagem está a demorar cerca de uma hora. “Ao longo do dia, a tendência é piorar”, apontou ainda.

Este sábado, em declarações à Lusa, o dirigente tinha lamentado que a Portway tivesse começado “a cortar abonos sociais e direitos adquiridos por todos os seus trabalhadores ao longo de 20 anos, não reconhecendo assim todo o esforço dos trabalhadores ao longo dos anos”. “E tudo isto com um único objetivo: o de não baixar os seus lucros a fim de poder encher ainda mais os cofres do grupo Vinci”, disse ainda.

[Artigo atualizado às 20h20 com o novo balanço divulgado pelo dirigente Fernando Simões, do SINTAC]