Um jovem de 24 anos morreu depois de ter sido esfaqueado, junto à Faculdade de Ciências, na zona do Campo Grande, em Lisboa, numa aparente tentativa de assalto. O crime aconteceu na noite de sábado e três suspeitos continuam em fuga. O jovem era filho de um antigo inspetor da Polícia Judiciária de Aveiro. O alerta chegou à Polícia de Segurança Pública, que esteve no local, pouco depois das 23h00. A investigação passou, entretanto, para as mãos da PJ, que procura agora identificar e localizar os assaltantes.

Tentou resistir ao assalto

O jovem terá sido abordado pelos assaltantes depois de jantar num restaurante de fast food no Campo Grande. Segundo a TVI, dirigia-se para o seu carro, estacionado perto da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, numa zona pouco iluminada, quando três homens o ameaçaram e exigiram que entregasse todos os bens que trazia consigo. O jovem terá resistido ao assalto, acabando por ser golpeado várias vezes com uma arma branca. Os suspeitos terão fugido de imediato.

Óbito foi declarado no local

Gravemente ferido e incapaz de pedir ajuda, o jovem foi encontrado no chão por alguém que passava junto ao estacionamento. O alerta chegou à PSP por volta das 23h00 e ainda foram ativados meios de socorro mas, apesar dos cuidados médicos, a vítima não resistiu à gravidade dos ferimentos e o óbito foi declarado no local.

A investigação foi depois entregue à Polícia Judiciária, que tem a competência exclusiva nos casos de homicídio. A prioridade será identificar e localizar os três suspeitos, que continuam em fuga. De acordo com o Correio da Manhã, os inspetores estão, por exemplo, a analisar imagens de câmaras de videovigilância próximas do local do crime.

Vítima estudava Engenharia Informática

O jovem tinha 24 anos e era filho de um antigo inspetor-chefe da Polícia Judiciária, que prestou serviço no Departamento de Investigação Criminal de Aveiro. Seria finalista no curso de Engenharia Informática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP remeteu qualquer esclarecimento sobre o caso para um comunicado de imprensa que será feito apenas na segunda-feira.