O suporte da Microsoft para o sistema operativos Windows 7 termina esta terça-feira. A partir de 15 de janeiro, a recomendação da empresa para quem ainda utiliza este software é comprar um PC novo com a versão mais recente, o Windows 10. Para as empresas que ainda utilizam as versões com os nomes “Profissional” e “Enterprise”, em inglês, a empresa norte-americana fundada por Bill Gates e Paul Allen vende pacotes de segurança com que funcionarão até 2023.

De acordo com a explicação da empresa para os utilizadores, “a partir de 14 de janeiro de 2020, os PCs com o Windows 7 vão deixar de receber atualizações de segurança”. Isto significa que, após esta quarta-feira, se quiser utilizar o computador ligado à Internet, não o deve fazer com um dispositivo com o Windows 7.

Sem as atualizações de segurança, a máquina fica extremamente vulnerável a ataques de piratas informáticos (hackers), mesmo que utilize outros programas de cibersegurança. Se fizer uma utilização exclusivamente offline, pode continuar a utilizar o computador.

A Microsoft recomenda a compra de um novo PC e não a atualização do terminal que poderá utilizar, pois “os PCs de hoje são mais rápidos, leves, mas potentes e mais seguros”. Além disso, a empresa afirma que, atualmente, o “preço médio é consideravelmente inferior ao de um PC de há oito anos”.

A empresa refere ainda que não se deve instalar “o Windows 10 num dispositivo mais antigo, dado que alguns dispositivos Windows 7 não são compatíveis com o Windows 10”. Contudo, é possível que o dispositivo em questão possa ser atualizado.

Os requisitos mínimos do Windows 10 são: um processador de 1 gigahertz (GHz) ou superior ou Sistema num Chip (SoC) RAM; 1 gigabyte (GB) de memória RAM para a versão de 32 bits ou 2 GB para a versão de 64 bits; 16 GB de armazenamento interno para a versão de 32 bits do sistema operativo (SO), e 32 GB para a versão de 64 bits do SO; e uma ligação à internet.

No entanto, se for atualizar, fica o aviso: alguns programas instalados no Windows 7 poderão deixar de funcionar com o Windows 10. Na dúvida sobre o que fazer, contacte um informático de confiança.

O Windows 7 foi lançado a 22 de outubro de 2009 e ainda é utilizado em cerca de 27% dos computadores Windows, segundo o StatCounter. O software que sucedeu ao Windows Vista foi sucedido em outubro de 2012 pelo Windows 8 e, em julho de 2015, pelo Windows 10. Até 29 de julho de 2016 a Microsoft permitia a atualização para o Windows 10 gratuitamente. Atualmente, se o utilizador quiser atualizar este sistema operativo, tem de pagar, no mínimo, 145 euros.