Foi entalado entre dois pesos pesados da moda italiana — Marco de Vincenzo e Gucci — que David Catalán apresentou as suas propostas para o outono-inverno 2020/21. Esta pode não ter sido uma estreia do criador espanhol, radicado em Portugal, na Semana da Moda de Milão, mas desta vez o desafio veio da própria organização, que às mais prestigiadas marcas de moda do país quis juntar talentos emergentes, entre eles o designer japonês Hiroyuki Fujita.

Na última estação, Catalán já tinha desfilado em Milão, com o apoio do Portugal Fashion, mas à segunda pisou a passerelle com outro mérito. “O convite surgiu há coisa de um mês da parte da própria Camera Nazionale della Moda Italiana. Já estávamos a trabalhar na coleção nessa altura porque tínhamos uma feira em Paris. Foi ótimo saber que éramos uma das marcas que eles queriam apoiar. Foi tudo suportado por eles”, refere o criador em declarações ao Observador.

© Tullio M. Puglia/Getty Images

Para a próxima estação fria e antecipando aquele que será um ano marcado pelo futebol, David Catalán inspirou-se no universo estético das claques. O designer fala num hooligan cheio de cor e que serve de base a um guarda-roupa que contrapõe peças extremamente desportivas e elementos de alfaiataria. Os jogos cromáticos continuam a ser uma imagem de marca de Catalán. O criador continua a explorar não só a ganga tingida, como também os encaixes que unem a coleção numa mesma linguagem gráfica.

Os cachecóis de clubes foram um elementos central, combinados com blazers, malhas, fatos de treino, casacos acolchoados e peças de acabamento envernizado. Os contrastes parecem ser a base de trabalho, e ao mesmo tempo o resultado final, da criação de David Catalán, que contou com casa cheia no desfile desta terça-feira de manhã.

© Tullio M. Puglia/Getty Images

Em Milão, o designer vai ainda apresentar a coleção em showroom. Comercialmente, a passagem pela capital italiana da moda, na estação passada, revelou-se uma alavanca poderosa para a David Catalán, marca totalmente produzida em solo português. No que toca ao próximo outono, a tendência parece manter-se. Na próxima semana, a paragem é Paris.

A Semana da Moda de Milão dedicada ao pronto-a-vestir masculino terminou esta terça-feira, ao fim de cinco dias de desfiles. Na passerelle, Portugal fez-se representar também através dos manequins. Francisco Henriques, o mais internacional dos modelos masculinos portugueses marcou presença nas apresentações da Emporio Armani, da Giorgio Armani e da Dolce & Gabbana, onde participou também Rodrigo Almeida.

Na fotogaleria, veja as imagens do desfile de David Catalán na Semana da Moda de Milão.