Os preços das rendas habitacionais em Lisboa baixaram 1,4 pontos percentuais no último trimestre de 2019 em relação ao trimestre anterior, está a noticiar o Público citando dados da Confidencial Imobiliário. É a primeira vez desde o terceiro trimestre de 2016 que o preço das rendas baixa. Estão a “estabilizar”, explicou o diretor da empresa, Ricardo Guimarães, que diz que esta descida dos preços era “expectável”.

Em entrevista ao Público, Ricardo Guimarães explica que a primeira descida de preços das casas na capital portuguesa nos últimos quatro anos simboliza uma “maturidade do mercado”: “Sabemos que as rendas subiram devido a outros fatores desligados das famílias. Agora temos o sinal de maturidade do mercado, que numa primeira fase entrou em recuperação, mas que já estava noutra fase, de clara evolução”, interpreta.

Estes dados serviram para desenhar o gráfico do Índice de Rendas Residenciais, que baixou 19,3 pontos percentuais entre 2010 e o segundo trimestre de 2013. Depois disso, explica o Público, as rendas voltaram a aumentar a um ritmo médio de 1,5 pontos percentuais a cada três meses. Em 2016, os preços das rendas voltaram aos níveis de 2010.

A partir daí, não pararam de aumentar. Até 2018 as rendas subiram 4,5 pontos percentuais em média por trimestre. A subida foi de tal maneira abrupta que, no terceiro trimestre de 2019, registaram-se valores 44 pontos percentuais mais altos do que os preços de 2010; e 78 pontos percentuais maiores do que em 2013, quando se chegou ao mínimo da década.

Apesar de os preços das rendas residenciais ter baixado no final do ano passado, isso não significa que continuarão em queda: “São as rendas que dão o sinal, em antecipação ao que pode vir a ser ou não, o reflexo dos preços”, acrescentou Ricardo Guimarães em conversa com o Público. “Não é forçoso que uma descida das rendas se traduza numa alteração da trajetória dos preços”, termina.