Ninguém sabia que a jovem de 25 anos estava grávida e só depois de o seu pai ter encontrado o primeiro de dois fetos, com cerca de sete meses de gestação, no interior do seu carro é que a suspeita surgiu. A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias, que escreve ainda que a jovem, que está hospitalizada desde domingo, é mãe de duas outras crianças. 

Na segunda-feira, quando procedia à limpeza do seu carro, normalmente usado pela filha, o proprietário de automóvel encontrou um feto na bagageira. A PSP de Aveiro confirmou ao Observador que a polícia foi chamada às 12h22 porque teria sido encontrado um feto dentro de um carro na rua 62, em Espinho. Mais tarde, durante as diligências das autoridades nas imediações foi encontrado um segundo feto — segundo o JN, no interior da residência. Ambos são do sexo feminino.

Até agora, as autoridades não avançaram se se tratou de um parto prematuro, provocado, de um aborto espontâneo ou de uma interrupção voluntária da gravidez. Os dois fetos foram enviados para o Instituto de Medicina Legal do Hospital de São Sebastião, na Feira, onde serão feitas as autópsias, cruciais para se perceber quais foram as causas de morte.

“No local, os elementos policiais confirmaram tratar-se de um feto, sem vida, do sexo feminino, com alguns meses de gestação“, confirmou o comando da PSP de Aveiro, em comunicado. O Observador apurou ainda que o primeiro feto encontrado estaria dentro de um saco de plástico. A Polícia Judiciária não esteve presente no local.

Das diligências entretanto efetuadas pela PSP de Espinho veio a encontrar-se um segundo feto, envolvido pela placenta e por peças de roupa. Uma das hipóteses mais prováveis é que sejam gémeos. A mulher de 25 anos continua internada no hospital onde deu entrada durante a madrugada de domingo devido a dores abdominais.

O veículo foi já removido para a esquadra da PSP de Espinho, que está a investigar o caso. O Observador apurou que o crime em causa é o de infanticídio.