Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois da morte de Kobe Bryant num acidente de helicóptero no domingo, Paulo Coelho revelou, numa publicação no Instagram, que vai apagar o rascunho do livro infantil que tinha começado a escrever com o basquetebolista, por considerar que “perdeu o seu propósito”. Em resposta, os fãs pediram ao autor brasileiro de bestsellers para acabar de escrever o livro como uma homenagem a Kobe Bryant.

O escritor publicou um “print” de uma conversa de agosto de 2019 com Kobe, em que o jogador sugere que escrevam um livro juntos, ao que Paulo Coelho respondeu: “Quando quiseres”.

“Foste mais do que um grande jogador. Aprendi muito quando interagi contigo. Vou apagar o rascunho agora mesmo. Este livro perdeu o seu propósito”, escreveu Paulo Coelho. Segundo o jornal The Guardian, o brasileiro afirmou, numa entrevista à Associated Press, que escrever um livro infantil “já não fazia sentido” e acrescentou que, no futuro, talvez escreva sobre Kobe.

Na mesma entrevista o conhecido escritor confessou que Kobe queria escrever um livro para inspirar crianças não privilegiadas a ultrapassar as adversidades através do desporto. Acrescentou que o basquetebolista tinha a preocupação de dar um “bom exemplo às crianças, especialmente aquelas com começos humildes”. “Ele tinha muito mais do que desporto na cabeça, nem tudo era sobre competição. O seu trágico acidente já nos mostrou com ele era importante para o mundo, não só para os Estados Unidos”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR