Rui Pinto regressou ao Twitter para criticar as autoridades portuguesas, que acredita estarem a tentar “silenciar” as suas denúncias e a “manter escândalos como o Luanda Leaks a sete chaves”.

“Se dependesse da Polícia Judiciária e do Ministério público português, estas informações nunca viriam a público, nem as autoridades angolanas alguma vez seriam informadas da existência destes dados”, afirmou o hacker português, que se diz responsável pela divulgação da documentação relativa aos negócios de Isabel dos Santos.

Na mesma publicação, Rui Pinto sugeriu que tem em sua posse informações sobre outros casos, como os Vistos Gold, a Escom e o BES. “Há muita coisa que os portugueses merecem saber”, declarou.

No início desta semana, dois dos advogados que estão a defender o hacker, Francisco Teixeira da Mota e William Bourbon, validaram as suspeitas de que Pinto tinha sido a fonte do Luanda Leaks. A Plataforma de Proteção de Denunciantes na África também confirmou que recebeu do hacker português os dados relacionados com os negócios de Isabel dos Santos.