De forma a minimizar o impacto do Brexit no turismo – são mais de dois milhões os britânicos que visitam Portugal todos os anos – estão em curso estratégias para “mitigar as consequências” e encorajar os “turistas a continuar a visitar o país”, segundo a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, em declarações jornal The Guardian.

Uma das medidas apontadas por Rita Marques consiste na oferta de seguros de saúde específicos para a população britânica, para serem utilizados nas unidade de saúde privadas ou públicas, em especial nas regiões do Algarve ou Lisboa, e na prorrogação dos benefícios do Cartão Europeu de Seguro de Doença (Ehic), que permite obter cuidados de saúde em qualquer país da União Europeia (fora da UE, só na Islândia, Liechtenstein, Noruega ou Suíça).

“Portugal e o Reino Unido formam uma das mais antigas alianças do mundo. Nesse sentido, aconteça o que acontecer nas negociações pós-Brexit, nós vamos continuar ao lado dos ingleses. O turista britânico é muito importante para nós”, revelou a secretária de Estado, acrescentando que em Portugal os benefícios do Cartão Europeu se mantiveram após 31 de Janeiro, data de saída do Reino Unido da União Europeia. 

Para encorajar os turistas do Reino Unido a continuar a visitar o país, o Turismo de Portugal lançou, em 2019, a campanha ‘Brelcome’, trocadilho entre ‘Brexit’ e a palavra ‘welcome’ (inglês para ‘bem-vindos’), no âmbito de um plano de contingência para minimizar o impacto económico da saída do Reino Unido da União Europeia. Além de uma linha de atendimento ‘online’ e uma área informativa específica no portal VisitPortugal, os turistas vão beneficiar de facilidades como isenção de vistos, corredores dedicados nos aeroportos e reconhecimento das cartas de condução.

O objetivo é “tentar sossegar os britânicos, dizendo que Portugal continua cá, independentemente do que se passar, de braços abertos”, disse a secretária de Estado.