Apesar da polémica que envolveu o cineasta, a editora Grand Central Publishing, do grupo editorial Hachette, vai publicar a autobiografia de Woody Allen, “Apropos of Nothing” (em português, “A propósito de nada”), a 7 de abril, avança O Globo. A obra vai ser lançada nos Estados Unidos, Canadá, Itália, França, Alemanha e Espanha.

A editora, citada pel’O Globo, descreve a obra como “um balanço abrangente da sua vida, tanto pessoal quanto profissional” e acrescenta que Allen “escreve sobre a relação com a família, amigos e amores da sua vida”.

O movimento #MeToo, que colocou o cineasta no centro de uma polémica de assédio depois de ter sido acusado de abuso sexual pela filha adotiva, levou várias editoras a recusarem publicar o livro de memórias de Woody Allen, avança o jornal. No seguimento desta acusação, a empresa Amazon cancelou o contrato que tinha com o cineasta e o seu filme “Um dia de chuva em Nova Iorque” não foi lançado nos Estados Unidos.

O filho biológico de Allen, o jornalista Ronan Farrow, que já várias vezes assumiu estar contra o pai, publicou, através da mesma editora (a Hachette) uma obra que ajudou a derrubar o ex-produtor Harvey Weinstein, que enfrenta agora mais de 25 anos de prisão por crimes sexuais.

Segundo o jornal brasileiro, a filha adotiva de Allen, Dylan Farrow, criticou o grupo editorial pela publicação da obra do cineasta, afirmando que é “uma traição” à reportagem do irmão, e sublinhou que nunca foi “contactada por nenhum verificador de informação” das memórias do pai.