São várias as marcas que têm adaptado os seus logótipos para darem força à necessidade do isolamento social, uma das normas de segurança promovidas pela Organização Mundial de Saúde e também pelas autoridades de saúde de vários países, principalmente os que estão a ser duramente afetados pela pandemia provocada pelo novo coronavírus.

A CNN Business reuniu alguns exemplos, da McDonald’s no Brasil aos anúncios da Coca-Cola em Nova Iorque, sem esquecer ainda a Audi e a Volkswagen. Mas numa altura em que várias marcas se adaptam em tempos de Covid-19 — como é o cado do grupo de luxo LVMH, que detém a Christian Dior e a Givenchy, que está a usar as fábricas de perfumes e cosmética para produzir gel desinfetante, produto que será distribuído gratuitamente pelas autoridades de saúde francesas —, há quem não veja com bons olhos a transformação dos logótipos.

Ao meio já citado, Douglas Sellers, diretor criativo da empresa de estratégia e design Siegel+Gale, diz que “a atual situação global não é uma brincadeira”. “As marcas que projetam logótipos de distanciamento social têm o potencial de diminuir a severidade do que estamos a passar”, considera. Já Brian Braiker, editor-chefe da Ad Age, diz que chegou a hora de as marcas fornecerem um “serviço real e significativo”.

Ainda assim, estes são alguns exemplos das marcas que optaram por apelar ao distanciamento social através dos respetivos logos.

McDonald’s (Brasil)

Coca-Cola (Nova Iorque)

Um cartaz em Times Square, em Nova Iorque, mostra o “novo” logo da Coca-Cola (NurPhoto via Getty Images)

Audi e Volkswagen

Nike