Os futebolistas da equipa principal do Atlético Madrid, incluindo o português João Félix, terão uma redução salarial de 70%, devido ao expediente temporário de regularização de emprego (ERTE) requerido na semana passada pelo clube junto das autoridades espanholas.

De acordo com o diretor executivo do Atlético de Madrid, Miguel Ángel Gil Marín, o recurso ao ERTE foi pensado com “o único objetivo de garantir a sobrevivência do clube”, numa altura em que a pandemia de Covid-19 suspendeu todas as competições em quase todo o mundo.

Além do plantel, o treinador Diego Simeone e a restante equipa técnica irão igualmente ter uma redução do mesmo valor. O mesmo cenário vai suceder no Atlético Madrid B e na equipa feminina, enquanto durar o estado de emergência decretado pelo governo espanhol.

O clube explicou que fez um acordo com os jogadores profissionais, que “permite complementar o salário dos 430 funcionários afetados pelo ERTE“, numa contribuição que será dividida entre a equipa principal e a direção dos ‘colchoneros’.

Na sexta-feira passada, o Atlético de Madrid tinha anunciado que iria recorrer junto das autoridades ao ERTE, para poder avançar com a redução da massa salarial, a exemplo do Espanyol e do FC Barcelona.