Um bebé prematuro infetado com novo coronavírus morreu esta terça-feira com quatro dias de vida em Natal, Brasil, confirmou a Secretaria Estadual de Saúde Pública ao G1. É a vítima mais jovem do mundo da COVID-19.

De acordo com o jornal brasileiro, o bebé nasceu na madrugada de 3 de abril às 30 semanas de gestação. Os médicos diagnosticaram-lhe uma insuficiência cardíaca e confirmaram nesse mesmo dia que estava infetado com o SARS-CoV-2. A mãe está em isolamento domiciliário e aguarda o resultado dos testes.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal diz ainda não ser claro se a criança já tinha problemas respiratórios ou se os desenvolveu por causa da infeção pelo novo coronavírus. Também ainda não se sabe como é que o bebé contraiu o SARS-CoV-2 e se tinha outros problemas de saúde que o tornassem mais suscetível ao vírus.

Isso mesmo foi confirmado ao G1 por Petrônio Spinelli, da secretaria de saúde de Natal: “É um caso que ainda está em investigação. Por mais que o teste tenha dado positivo, ainda não se sabe se o contágio foi pós-parto, precisa de um aprofundamento da investigação com os parentes”.

Este caso ocorre poucos dias depois de outra criança, de três meses, ter morrido infetada pelo novo coronavírus em Iguatu, Ceará. O bebé deu entrada no hospital a 30 de março com um quadro de dificuldades respiratórias e morreu quatro dias depois com pneumonia e bronquiolite.

Um teste post mortem provou que a criança estava infetada com o SARS-CoV-2. De acordo com o G1, desde 05 de março que o bebé tinha sintomas da COVID-19, mas os pais tê-las-ão confundido com um quadro de gripe. Desvalorizaram a situação porque a criança tinha uma Síndrome de Bartter — um problema que afeta os rins — e tinha a saúde fragilizada.

Noutro caso, uma bebé com duas semanas de vida foi colocada em isolamento após a mãe, de 28 anos, ter morrido de COVID-19. De acordo com o pai, a criança não tem sintomas da doença e está bem de saúde. É uma amiga da família que está a cuidar da bebé.