Na província de Punjab, na Índia, os efeitos do lockdown devido à pandemia da Covid-19 são já visíveis. Desta vez, a mudança não tem a ver com o número de infetados ou mortos, mas sim com a poluição. Pela primeira vez em décadas, os habitantes conseguem ver o topo da cordilheira dos Himalaias a mais de 160 quilómetros de distância. Nas redes sociais, têm sido partilhadas fotografias que mostram aquilo que muitos nunca antes tinham visto.

“Pela primeira vez em quase 30 anos pude ver claramente os Himalaia devido ao confinamento social da Índia que tem reduzido a poluição do ar. Simplesmente incrível!”, pode ler-se numa publicação no Twitter.

“Jamais poderia imaginar que isto seria possível… uma clara indicação do impacto que a poluição produzida por nós tem na Terra”, escreveu Harbhajan Singh, jogador de cricket.

A melhoria dos níveis de poluição deve-se às medidas implementadas para manter perto de 1,4 mil milhões de pessoas em casa desde o dia 24 de março, obrigando ao fecho de fábricas, redução da circulação de carros e cancelamento de voos.

Segundo um estudo feito pelo Comité de Poluição Central da Índia (CPCI), desde o início do lockdown registou-se já uma “significativa melhoria na qualidade do ar”.

Como resultado das restrições rigorosas a viagens e do encerramento de atividades não essenciais, incluindo as dos setores poluentes do ar, a melhoria da qualidade foi observada em muitas cidades do país”, pode ler-se no relatório publicado no final de março.

Em Nova Deli, que tem sido considerada uma “câmara de gás”, registou-se no primeiro dia da implementação das restrições uma redução de 44% dos níveis de partículas com diâmetro inferior a 10 μm (PM10). Segundo o CPCI, esta melhoria, no entanto, não se registou “significativamente em cidades industriais”.

Em relação à qualidade do ar em Jalandhar, esta foi considerada “boa” no índice nacional do país em 16 dos 17 dias desde que o bloqueio entrou em vigor. Já no período homólogo de 2019, a cidade não registou um único dia de “boa” qualidade do ar. Nos primeiros 17 dias de março deste ano, e antes da contenção, apenas três dias tiveram qualidade de ar “boa”.

Índia registou mais de 9.000 casos de infetados com o novo coronavírus e 331 mortes até às 7h24 desta segunda-feira, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins.