O número de casos confirmados de Covid-19 em Portugal subiu para 29.660 esta quarta-feira, 20 de maio, depois de terem sido registados 228 novos contágios nas últimas 24 horas, de acordo com o relatório da Direção-Geral de Saúde. O número de casos continua a aumentar em linha com a véspera (um aumento de 0,8%) e o número de mortes mantém-se o mesmo: 16, elevando assim o total de óbitos para os 1.263 em todo o país.

Do relatório divulgado esta quarta-feira ao início da tarde, há vários pontos a destacar — alguns dos quais apontam para sinais de melhoria do controlo da pandemia no país mas que, por outro lado, deixam alguns alertas quanto aos novos casos e à sua concentração geográfica na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Número total de casos, mortes e recuperados

Nas últimas 24 horas foram contabilizados mais 16 óbitos por Covid-19 em Portugal, repetindo-se assim a cifra da véspera. Desta forma, o total de mortos por Covid-19 em Portugal é de 1.263 em todo o país, tendo crescido 1,3% nas últimas 24 horas. Quanto aos novos casos, que subiram em 228 nas últimas 24 horas, regista-se assim um aumento na ordem dos 0,8% — igual ao que foi registado na véspera, com 223 casos. E, no que toca aos recuperados, o relatório da DGS aponta para mais 21 — fazendo assim um total de 6452 recuperados. Esta métrica, porém, é incompleta — já que só há poucos dias é que a DGS começou a contabilizar como “recuperados” as pessoas infetadas que ficaram em casa. Mais concreta, é a taxa de letalidade da Covid-19 em Portugal: atualmente, no 4,26%.

Caracterização dos óbitos por faixa etária e género

No que diz respeito aos óbitos, confirma-se a tendência para as mortes estarem concentradas nas faixas etárias mais avançadas. Entre as 16 mortes por Covid-19 detalhadas no relatório da DGS, não há nenhuma abaixo dos 60 anos e a faixa etária mais afetada é a que está acima dos 80: das 16 mortes, 12 são neste setor etário, entre os quais há seis homens e seis mulheres. Entre os 60 e os 80 anos, os mortos são todos homens: um entre os 60 e 69 anos e três entre os 70 e os 79 anos.

Caracterização do número de casos e mortes por região e concelho

Entre os 228 novos casos registados nas últimas 24 horas, uma maioria de 198 são na região de Lisboa e Vale do Tejo — ou seja, 86,8% dos novos contágios são na capital e nas zonas limítrofes desta. Olhando especificamente para alguns dos concelhos da região em causa, vê-se que em Lisboa há mais 28 casos (uma descida dos 56 da véspera), além de 22 em Loures (em subida dos 14 do dia anterior) e 17 na Amadora (uma ligeira subida, após 16). Ao todo, a região da capital tem 8.688 casos registados.

Fora de Lisboa, há um aumento de apenas 16 casos na região Norte — mas que, no total, continua a ser ainda aquela que tem mais casos, com 16.488. No Centro, registaram-se 11 novos casos, elevando o total para 3.655. Há ainda o Alentejo, a região menos afetada de Portugal Continental, que ainda assim teve 3 novos casos no último dia, elevando o total para 248. De resto, não há novos casos a registar no Sul, nos Açores e na Madeira — tal como na véspera.

Número de casos internados e nos cuidados intensivos

Os internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) desceram para o número mais baixo desde 28 de março e desceram pela primeira vez abaixo dos 100 desde o pico da pandemia em Portugal. Nestas últimas 24 horas, contam-se 93 pessoas internadas em UCI, o que representa o número mais baixo desde os 89 de 28 de março. Em sintonia, está também o número de casos internados na generalidade. De momento, são 609 — o número mais baixo desde 30 de março, quando havia 571 pessoas hospitalizadas por Covid-19. No final de março, a tendência tanto no internamento em UCI como no geral era de subida — e, agora, ultrapassado o pico é de descida.

Número de casos suspeitos, não confirmados, em vigilância e a aguardar resultados

O número de casos suspeitos nas últimas 24 horas foi de 2.724, o que representa uma ligeira descida dos 3.052 da véspera. Entre os não confirmados, também há menos: depois dos 2.740 da véspera, nas últimas 24 horas são 2.440 as pessoas que testaram e deram negativo. Há ainda 56 pessoas a aguardar resultado e, entre as que estão em vigilância houve uma descida de 206 — sendo agora esse total de 25.281.

Caracterização dos casos confirmados por sintomas

A tosse continua a ser o principal sintoma, com praticamente metade dos casos a revelarem esse sintoma. Ao todo, 41% dos infetados reportaram terem tido tosse, seguindo-se 29% que disseram ter febre e outros 21% que referiram dores musculares. Menos comuns, são as cefaleias (19%), a fraqueza generalizada (15%) e as dificuldades respiratórias. Estes números mantêm-se todos em linha com os que foram anunciados na véspera.