O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) aumentou 22,1% em abril, face ao mesmo mês do ano passado. Ou seja, neste momento estão inscritos nos centros de emprego 392.323 pessoas sem trabalho.

Esse número representa um aumento de 71.083 pessoas face a abril de 2019. Mas é também um salto em relação a março. Em abril face a março perderam o emprego 48.562 pessoas, ou seja uma média diária de 1.618 pessoas por dia.

“Para o aumento do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2019, contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para as mulheres, os adultos com idades iguais ou superiores a 25 anos, os inscritos há menos de um ano, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o secundário”, refere o IEFP.

A nível regional, segundo o IEFP, no mês de abril, o desemprego registado aumentou na generalidade das regiões, com exceção da Região Autónoma dos Açores.

Por outro lado, o número de casais com ambos os elementos no desemprego ascendeu a 6.612 em abril, revelando uma subida homóloga de 10,8%. Trata-se do maior aumento desde 2013.

“O número de casais em que ambos os cônjuges estão registados como desempregados foi, no final de abril de 2020, de 6.612, ou seja, 10,8% (+647 casais) que no mês homólogo”, indica.

O crescimento do universo de casais no desemprego e com ambos os cônjuges inscritos no IEFP registado em abril interrompe a tendência de descida que se iniciou em 2014 e que apenas foi pontualmente interrompida em 2016 para ser retomada daí em diante.

Os dados disponíveis mostram que é necessário recuar a novembro de 2013 para encontrar um acréscimo homólogo de dois dígitos.