O governo do Brasil alterou esta semana o método de divulgação dos dados estatísticos sobre a pandemia da Covid-19 no país, deixando de publicar diariamente os números totais acumulados de mortes e casos de contágio. A decisão foi anunciada pelo próprio Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que argumenta que o novo método, que esconde os números totais da pandemia, é melhor para retratar “o momento do país”.

A divulgação dos dados de 24 horas permite acompanhar a realidade do país neste momento e definir estratégias adequadas para o atendimento a população. A curva de casos mostram as situações como as cenários mais críticos, as reversões de quadros e a necessidade para preparação”, escreveu Bolsonaro no Twitter.

Ao acumular dados, além de não indicar que a maior parcela já não está com a doença, não retratam o momento do país. Outras ações estão em curso para melhorar a notificação dos casos e confirmação diagnóstica”, acrescentou o Presidente brasileiro.

Na nota divulgada através das redes sociais, Bolsonaro justificou ainda que a recolha de dados “evoluiu com capacitação e serviços laboratoriais” e que o novo método permite “obter dados mais precisos sobre cada região“.

As rotinas e fluxos estão sendo adequados para garantir a melhor extração dos dados diários, o que implica em aguardar os relatórios estaduais e checagem de dados“, acrescentou o Presidente brasileiro.

Bolsonaro acrescentou ainda que, para “evitar subnotificação e inconsistências, o Ministério da Saúde optou pela divulgação às 22h, o que permite passar por esse processo completo”. “A divulgação entre 17h e 19h, ainda havia risco subnotificação. Os fluxos estão sendo padronizados e adequados para a melhor precisão“, justificou.

De acordo com a imprensa brasileira, esta mudança já se registou no boletim divulgado na sexta-feira.

A decisão de exibir apenas os números das 24 anteriores, em vez de mostrar os números totais acumulados, surge numa semana em que o Brasil atingiu números recorde em termos de mortes e casos. Na última quinta-feira, registaram-se 1.473 mortes, com os jornais brasileiros a fazerem notar que foi nesse dia que se passou a marca de um morto por minuto por Covid-19.

O Brasil é o segundo país do mundo com mais casos de Covid-19 (atrás dos EUA) e o terceiro país do mundo com mais mortes pela doença (atrás dos EUA e do Reino Unido). A contabilização do jornal brasileiro Folha de São Paulo aponta este sábado para um total acumulado de 614.941 casos de contágio e para um total de 34.021 mortes.