Tim Cook, o presidente executivo da Apple, anunciou esta quinta-feira no Twitter a “Apple’s Racial Equity and Justice Initiative” [Iniciativa da Apple para a Justiça e Equidade Racia”, em português]. Ao todo, a empresa por detrás do iPhone vai investir 100 milhões de dólares (cerca de 84,4 milhões de euros) neste novo plano.

Num vídeo publicado na mesma rede social, Tim Cook afirma que esta “iniciativa desafiará as barreiras sistémicas à oportunidade e à dignidade que existem para comunidades de cor e especificamente para a comunidade negra”. De acordo com o executivo, o programa vai trazer “mudanças” à Apple em tudo o que a empresa faz.

Como parte da iniciativa, a empresa afirma que vai criar projetos de programação para programadores e empreendedores negros com o objetivo de criar “as melhores ideias” para a Apple. Além disso, a Tim Cook divulgou que a empresa que lidera vai investir mais dinheiro em parcerias que tem com parceiros negros, como explica o The Verge.

Esta iniciativa vai estar a cargo de Lisa Jackson, vice-presidente na Apple. A este jornal, Jackson, que foi responsável pelas políticas ambientais no executivo do antigo presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou: “Lutar por igualdade e justiça para minha comunidade impulsionou minha carreira como ambientalista”.

Na semana passada, na sequência dos protestos contra a violência policial e racismo que têm decorrido nos EUA depois do homicídio de George Floyd pela polícia de Minneapolis, Tim Cook afirmou a Apple precisava de “fazer mais” para promover a justiça racial. Outras empresas tecnológicas norte-americanas, como o Facebook, a Google ou a Amazon, têm também apresentado iniciativas de apoio a comunidades negras no país.