Depois de uma espera que os fãs considerarão demasiado longa, eis que a Ford revelou a sexta geração do seu Bronco, um modelo que recupera o espírito do “clássico” dos anos 60, mas tempera-o ao gosto das exigências modernas, fazendo o difícil exercício de compatibilizar uma certa dose de saudosismo com as devidas actualizações tecnológicas, em matéria de conforto, conectividade e, claro, aptidões no fora de estrada – ou não fosse este o rival do estatutário Jeep Wrangler, com o qual vai disputar o mercado norte-americano, sempre muito receptivo a propostas de natureza mais aventureira.

Para começar, não há um mas sim três Bronco, pois a Ford tratou de dividir a fim de reinar, pelo que o modelo pode assentar num chassi curto (duas portas) ou longo (quatro portas), a que se soma ainda a variante Sport, mais “civilizada”.

11 fotos

Senhor de uma estética a inspirar robustez, com uma carroçaria sempre muito quadradona e onde sobressai na grelha frontal a “orgulhosa” denominação do modelo, o Bronco diz-se preparado para os mais agrilhoados desafios, anunciando ângulos de entrada e de saída de 29° e 37,2°, respectivamente, a que há que somar a capacidade de atravessar sem quaisquer problemas cursos de água com até 0,85 m – o melhor valor da classe.

Com uma distância ao solo de 30 cm, o que lhe garante (literalmente) a capacidade de passar por cima de tudo sem que nada lhe toque, o intocável Bronco monta-se em cima de pneus com 35 polegadas, recorre a uma suspensão independente à frente e de eixo rígido na traseira, estando equipado com diferenciais Spicer Performa-TRAK e eixos Dana 44, além de amortecedores Bilstein. A barra estabilizadora à frente pode ser desconectada e o condutor pode optar entre sete modos de condução (Normal, Eco, Sport, Slippery e Sand, com Baja, Mud/Ruts e Rock Crawl), que adaptam o Bronco à exigência do obstáculo a superar.

Quanto à mecânica, são requisitados os motores EcoBoost, quer o quatro cilindros 2.3 com 274 cv e 420 Nm, quer o V6 2.7 com 315 cv e 542 Nm, acoplados a uma transmissão manual de sete relações (tipo 6+1) ou a uma caixa automática de 10 velocidades, sem esquecer a caixa de transferência e as redutoras.