As regiões de Aragão e da Catalunha, em Espanha, registaram quinta-feira 70% dos novos casos de contágios pelo novo coronavírus. Só na Catalunha, em apenas 24 horas, foram 1.293 os novos casos de Covid-19, com quatro mortes anunciadas. Já em Aragão os números são agora superiores aos registados em pleno pico da pandemia no país, com a propagação do vírus a tornar-se incontrolável. Em ambas as zonas já estão a ser ponderadas restrições, mas por agora as autoridades apenas recomendam o confinamento voluntário e pedem para não haver ajuntamentos de mais de dez pessoas para evitar medidas mais restritivas.

As autoridades regionais de saúde registaram em Aragão 272 novos casos, 166 dos quais na cidade de Saragoça, nove na restante província. Já em Huesca e Teruel, as outras duas províncias de Aragão, foram registados 90 e sete casos respetivamente. Mesmo em plena pandemia, nunca a região de Aragão tinha registado tantos casos num só dia, como estes reportados quinta-feira, como noticia o ABC.

Números que também podem ser vistos pelo prisma de que antes não havia tantos testes e, por isso, não havia um retrato tão fiel da realidade. “Os dados não têm nada a ver como quando se detetava apenas uma pequena porção porque agora a capacidade de testagem é maior”, lembrou o diretor geral de Saúde Pública do governo aragonês, Francisco Javier Falo, embora reconhecendo que pelo menos 30% de novos casos não são conhecidos nestes rastreios e que correspondem a cadeias de contágio fora de controlo. As autoridades de saúde assumem, no entanto, que os números estão a agravar-se, mas o governo de Aragão ainda não avançou com uma imposição legal de confinamento ou isolamento social.

Na Catalunha, dos novos 1.293 casos de infeção, 178 ocorreram em Segria (Lerida), onde os habitantes já voltaram a confinar nas suas casas, e 123 no Hospitalet de Llobregat (Barcelona). Estes são dois dos focos que mais preocupam as autoridades. A terceira zona mais afetada é mesmo a cidade de Barcelona que, em 24 horas, registou 372 novos casos.

Covid-19: Catalunha confina 200.000 pessoas devido ao aumento de casos 

O ministro de Sanidad, Salvador Illa, já disse que se for preciso tomar medidas mais drásticas que assim o fará. Em entrevista, citado pelo El Mundo, Illa reconheceu que já se sabia que ao levantar o estado de emergência que iriam surgir surtos. “Procupa-nos especialmente a zona de Aragão e da Catalunha. Hoje serão tomadas medidas em relação ao surto de Hospitalet. Saragoça e L’Hospitalet não estão controlados, mas estão a tomar-se medidas que acreditamos serem oportunas, mas temos que esperar uns dias para ver se funcionam”, disse.

“Se virmos que a transmissão escapa ao controlo e requer medidas mais contundentes, não hesitaremos. Não descartamos nada. Se tivermos que chegar a uma limitação dos direitos fundamentais, assim faremos”, disse o ministro.