O novo bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), Miguel Pavão, definiu como prioridades do mandato, que este sábado inicia, a defesa da saúde oral da população, a valorização dos profissionais e a qualidade do ensino de medicina dentária.

No discurso de tomada de posse, proferido numa cerimónia, em Braga, em que assumiram funções todos os órgãos sociais da OMD eleitos em junho para o mandato 2020/2024, Miguel Pavão salientou a “missão essencial” dos médicos dentistas para a “saúde pública e o bem-estar dos portugueses”, lamentando que as políticas de saúde pública sejam “muitas vezes desvalorizadas por sucessivos Governos”, afirma um comunicado da Ordem.

“Durante este mandato estaremos muito focados em três grandes áreas: a defesa de políticas de saúde oral que melhorem a qualidade de vida das pessoas, a valorização da nossa classe profissional, tantas vezes esquecida, e garantir que a formação superior e pós superior prestada em Portugal se tornam uma referência europeia”, afirmou na cerimónia que decorreu no Altice Braga, respeitando as condicionantes impostas pela pandemia da Covid-19.

Miguel Pavão fez questão de homenagear todos os profissionais de saúde, entre os quais se incluem os médicos dentistas, “por estarem a ser o garante da estabilidade política e social nesta crise causada pela Covid-19, que constituí um período adverso e que põe à prova os mais altos valores humanitários”.

Miguel Pavão tem 40 anos e é licenciado em medicina dentária pela Universidade Fernando Pessoa, tendo sido fundador e, até 2018, presidente da organização não-governamental “Mundo a Sorrir” – Médicos Dentistas Solidários Portugueses.

Na passagem de testemunho, o bastonário que cessou funções, Orlando Monteiro da Silva, referiu a vitória “retumbante” de Miguel Pavão nas eleições de junho, o que, disse, o torna “depositário de muitas expectativas da profissão”.

Nas eleições que decorreram a 27 de junho último, Miguel Pavão conquistou 3.472 votos dos 4.748 votantes, derrotando o outro candidato, Artur Lima, que obteve 1.151 votos.

Monteiro da Silva agradeceu aos que o acompanharam nas últimas duas décadas à frente ou nas iniciativas da OMD e declarou o seu “orgulho” por deixar “uma Ordem económica e financeiramente muito robusta, com disponibilidades e excedentes financeiros mais do que suficientes para enfrentar o que por aí possa vir, por pior que possa ser”.

Além do bastonário, tomaram posse os novos membros do Conselho Diretivo, do Conselho Geral, da Assembleia-Geral, do Conselho Fiscal e do Conselho Deontológico e de Disciplina da OMD.

O Governo esteve representado pelo secretário Estado da Presidência do Conselho de Ministros, e também médico dentista, André Moz Caldas, numa cerimónia que contou ainda com a presença do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, refere o comunicado da OMD.