Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi um final quase poético. No último dia da temporada para ambas as equipas, o Sp. Braga, antiga equipa de Rúben Amorim, roubou o terceiro lugar ao Sporting, atual equipa de Rúben Amorim. Em março, o treinador trocou o Minho por Lisboa, deixou o Sp. Braga e uma total invencibilidade pessoal na Primeira Liga e aterrou em Alvalade com o objetivo de garantir a presença no pódio. Apareceu uma pandemia pelo meio, uma interrupção de três meses e a retoma trouxe as primeiras derrotas do treinador e o quarto lugar dos leões.

Fransérgio acertou no poste, voltou a tentar, encurtou 360 kms e foi a imagem de uma equipa (a crónica do Sp. Braga-FC Porto)

E este sábado, depois do apito final do jogo entre o Sp. Braga e o FC Porto e a derrota do Sporting na Luz, António Salvador decidiu aparecer na sala de conferências de imprensa para fazer um balanço da temporada dos minhotos e deixar alguns recados. “Esta minha vinda aqui, de uma forma muito clara, tem como objetivo dar um obrigado a todos os profissionais do Sp. Braga. Esta foi uma época muito difícil, que já vai para o seu 14.º mês. Tivemos uma série de problemas desde o início da preparação da época, com a saída do Abel, como todos sabem estava a ser preparada em função dele, que saiu, não porque o Sp. Braga quisesse, mas porque recebeu propostas que não quis recusar”, começou por dizer o presidente do Sp. Braga, que falou antes de Artur Jorge aparecer para responder aos jornalistas, apontando depois baterias ao Sporting.

“Quero agradecer ao Rúben Amorim pela excelente campanha que fez na Liga e na Taça da Liga. Infelizmente, por circunstâncias que o clube não teve nada a ver, decidiu ir para um clube que ainda não pagou a cláusula de rescisão. Fomos buscar o Custódio, veio a pandemia, foi muito difícil para nós. Tivemos que recorrer mais uma vez internamente para acabar a época. Parabéns a todos os profissionais e a todos os jogadores. Esta época histórica do Sp. Braga, que venceu a Taça da Liga, que venceu os ditos ‘grandes’ e que conseguiu acabar em terceiro lugar, eles são todos uns verdadeiros campeões. A eles e a toda a estrutura porque só com pessoas assim é que o clube conseguiu aguentar todos os abalos que tivemos esta época. O meu obrigado a todos os treinadores que por aqui passaram. Bem sei que tudo fizeram para que este lugar não fosse nosso, tendo inclusivé vindo buscar o nosso treinador Rúben Amorim, mas nós não somos de nos vergar”, concluiu António Salvador.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Os erros têm consequências”. António Salvador anuncia que Custódio já não é treinador do Sp. Braga

De recordar que no início do mês, quando anunciou a saída de Custódio e a solução interna que foi Artur Jorge, o presidente minhoto já tinha criticado os leões.  “A questão, porém, é mais profunda: é que o SC Braga não é apenas a equipa mais prejudicada na época 2019/20, já o foi na temporada transata, contribuindo inclusivé para a descida de divisão da sua equipa B, conforme reconheceu o próprio Conselho de Arbitragem, que não deixará de notar a coincidência de o Clube mais beneficiado ser, mais uma vez, aquele que compete diretamente com o SC Braga por um lugar na tabela”, podia ler-se no comunicado oficial do clube, numa altura em que os dois clubes ainda lutavam pelo terceiro lugar.

“O erro é parte integrante do futebol e da vida, mas o erro persistente e reiterado tem outro nome e não há que ter receio de o apontar: chama-se incompetência. Permitir a incompetência é um atestado de incapacidade que tem de ser claramente imputado a este Conselho de Arbitragem, que é conivente com um prejuízo de nove pontos à equipa do SC Braga ao longo deste campeonato, conforme é reconhecido por todos os analistas e por toda a Comunicação Social, que também deteta um benefício de 5 pontos para o competidor direto, o Sporting CP”, terminou, na altura, o presidente minhoto.