No próximo ano letivo, os professores de Educação Física devem privilegiar atividades em que o distanciamento seja possível, mas os alunos não precisam de usar máscara durante a aula, segundo as orientações esta terça-feira divulgadas.

A Direção-Geral da Educação (DGE) enviou esta terça-feira às escolas as novas orientações para as aulas de Educação Física, que no próximo ano letivo vão ser diferentes do habitual devido à pandemia da Covid-19.

No documento, a tutela escreve que “as opções metodológicas a adotar devem refletir as restrições impostas pela pandemia, não descurando, contudo, os princípios e os valores defendidos nos referenciais da disciplina”.

Segundo a DGE, os professores deverão optar por estratégias e metodologias de ensino que privilegiem o respeito pelo distanciamento físico “de, pelo menos, três metros entre alunos”, assegurando, no entanto, o cumprimento dos objetivos da disciplina.

Por isso, numa disciplina em parte marcada pela aprendizagem e prática de desportos coletivos, as atividades passam a ser, preferencialmente, individuais ou entre grupos reduzidos, simulando situações de jogo “reduzidas e condicionadas”.

É ainda sugerido a adoção de “estratégias de ensino que priorizem o trabalho em circuito, possibilitando a execução de exercícios através de estações que valorizem a estabilização de grupos de trabalho com os mesmos propósitos”.