Nove das 12 funcionárias do Centro Social Serra do Alecrim, em Alcanede, Santarém, que prestam serviço domiciliário, testaram positivo à Covid-19, tendo esta segunda-feira sido testados os 31 idosos que acompanham, disse fonte autárquica.

O presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), disse à Lusa que uma equipa do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) esteve esta segunda-feira a testar os idosos, aguardando os resultados.

Na passada quinta-feira, uma médica e uma enfermeira do Centro de Saúde de Alcanede testaram positivo, depois de saberem que tinham atendido um doente diabético que estava infetado, tendo o espaço sido encerrado de imediato, disse fonte do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria à Lusa.

Segundo o coordenador do ACES Lezíria, todo o pessoal do centro de saúde foi testado, tendo os resultados sido negativos, pelo que as instalações reabriram esta segunda-feira, depois de terem sido desinfetadas no passado sábado. A médica e a enfermeira estão assintomáticas e em isolamento, acrescentou.

A fonte adiantou que também o presidente da junta de freguesia de Alcanede e a cozinheira de um restaurante da região testaram positivo, assegurando que são casos sem ligação, já a serem devidamente acompanhados.

Segundo o ACES Lezíria, na sua área de intervenção há quatro locais com surtos de covid-19, três dos quais “controlados” — os lares Fonte Serrã e Valmonte, em Santarém, e a fábrica Mendes Gonçalves, na Golegã —, e agora o Centro Social Serra do Alecrim, havendo ainda uma família com sete pessoas, na Golegã, que está em isolamento e rastreados os contactos.

Ricardo Gonçalves afirmou que, das 22 pessoas que morreram no concelho de Santarém por Covid-19, só quatro não se encontravam em lares, sendo todas elas idosos com idade avançada e outras morbilidades.

Do primeiro lar onde foram detetados casos, em Casével, morreram oito utentes, da Fonte Serrã seis, do Valmonte três e da Serra do Alecrim um.