Caminha, Viana do Castelo, 09 out 2020 (Lusa)- Os deputados do PSD eleitos por Viana do Castelo questionaram o ministro do Mar sobre a dragagem do porto de Vila Praia de Âncora, em Caminha, que deveria, dizem, ter-se iniciado em setembro, foi hoje divulgado.

“Perante a promessa de ver o seu problema resolvido a comunidade piscatória aguardou ansiosamente o mês de setembro na expectativa de finalmente ter condições para sair para a faina e entrar no porto sem que a sua vida seja colocada em causa, como sucede atualmente”, referem os deputados Jorge Mendes, Emília Cerqueira e Eduardo Teixeira, numa nota hoje enviada às redações.

No documento lamentam que o mês de setembro tenha terminado e que “já em pleno mês de outubro nada tenha sido feito, mais uma vez”.

“A comunidade local espera e desespera pelo desassoreamento repetidamente prometido e sempre adiado”, frisam.

Na pergunta que dirigiram ao ministro Ricardo Serrão Santos, e a que a Lusa teve hoje acesso, os três deputados eleitos pelo círculo de Viana do Castelo insistem na definição de um calendário de arranque da intervenção.

Relembram já ter questionado o ministro do Mar sobre o mesmo assunto, em junho, e que a previsão de arranque da obra então avançada apontava para “o segundo semestre de 2020”.

“Não obstante a resposta enviada pelo Ministério do Mar não precisar a altura exata em que as obras serão levadas a efeito, foi abundantemente anunciado localmente que as mesmas ocorreriam no início do mês de setembro”, dizem os deputados.

Na mesma resposta, o ministro do Mar explicou que “os trabalhos integram uma adjudicação mais vasta, designada de intervenção de alimentação artificial, proteção e reabilitação do sistema costeiro natural da duna dos Caldeirões, através da alimentação remoção e migração de areias da barra, canal de entrada e bacia portuária do porto de Vila Praia de Âncora”.

ABC // JAP

Lusa/Fim