Depois do adiamento da apresentação oficial da lista em virtude do falecimento de Ângelo Martins, antiga glória do Benfica que foi bicampeão europeu pelos encarnados entre 14 títulos conquistados no clube entre as décadas de 50 e 60, João Noronha Lopes apresentou esta quarta-feira em termos oficiais a lista que irá a sufrágio nas próximas eleições de 30 de outubro. “Esta lista garante transição sem sobressalto. Estamos preparados para assumir funções no dia a seguir às eleições. Não é uma lista concorrente a ninguém mas só a favor do Benfica. Não estamos aqui para nos posicionarmos mas para ganhar as eleições. Queremos fazer voar mais alto o nome do clube”, destacou na intervenção inicial, antecedida por uma homenagem ao antigo internacional português.

Na direção, os candidatos a vice-presidentes são Carlos Perdigão, António Borges de Assunção, Pedro Cardigos, Pedro Ribeiro, Pedro Adão e Silva e Jorge Fonseca Ferreira e ainda os suplentes Manuel Mota e Stephan Morais. A liderar a Mesa da Assembleia Geral está Francisco Benítez, ao lado do vice Luís Sousa Macedo e dos secretários Cristina Santos Silva, Diogo Leote Nobre e José Braga da Cruz (suplente). Por fim, no Conselho Fiscal estará José Theotónio, em conjunto com o vice Pedro Penalva e os vogais Martim Avillez Figueiredo, Aulácio Costa Almeida, Vicente Pedro Nunes e Manuel Cary (suplente).

“Estamos muito satisfeitos por ter chegado a este ponto, por participar no debate e poder apresentar o nosso programa com quase 90 medidas para o futuro do Benfica. E acho que é isso que vai acontecer até ao dia das eleições, é isso que espero que aconteça, com todos os candidatos. Mais uma vez faço um apelo direto ao candidato Luís Filipe Vieira: que venha debater com os outros candidatos, que não se esconda. Não por respeito aos candidatos, mas por respeito aos adeptos e aos sócios do Benfica. É isso que os sócios esperam e merecem”, disse ainda, antes de comentar uma possível junção com Rui Gomes da Silva: “Esta é uma lista de união, de vontade e de objetivos. Estamos muito satisfeitos com tudo isto e com o programa que apresentámos”.

Carlos Perdigão é advogado, historiador e gestor de recursos humanos, já escreveu diversos livros sobre a história do clube e colaborou com o projeto do Museu Cosme Damião; António Borges de Assunção é doutorado em Finanças, professor universitário e ainda vogal do Conselho Fiscal da Caixa Geral de Depósitos; Pedro Cardigos é professor universitário e especialista em Direito Financeiro; Pedro Ribeiro é locutor de rádio e diretor da Rádio Comercial; Jorge Fonseca Ferreira é economista e integrou o Conselho Fiscal encarnado durante a liderança de Manuel Vilarinho; Pedro Adão e Silva é doutorado em Ciências Sociais e Políticas e professor universitário.

José Theotónio é o CEO do Grupo Pestana desde 2015, tendo sido diretor financeiro do Grupo durante 15 anos. É licenciado em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa, onde deu aulas mais tarde, assim como na Escola Superior de Hotelaria e Turismo e no Instituto Superior de Gestão Bancária. Desempenhou ainda funções como adjunto do secretário de Estado das Finanças e chefe de gabinete do secretário de Estado do Turismo.

Esta terça-feira, a candidatura de João Noronha Lopes tinha também anunciado o acordo com o movimento “Servir o Benfica”, que deixa assim de concorrer à presidência do clube. “É um dia importante na caminhada até 30 de Outubro. Acolhemos o movimento ‘Servir o Benfica’ nesta candidatura, com representação na presidência da Mesa da Assembleia Geral do clube, um cargo da máxima importância, porque valorizamos a militância associativa do movimento e o contributo desinteressado que os seus membros têm dado para uma discussão sobre aquilo que queremos para o Benfica”, anunciou ao final da tarde sobre a fusão com o grupo de Francisco Benítez.

“Acreditamos que a convergência é fundamental neste momento e fazemos nossas as palavras do movimento no sentido de integrar todos os apoios que chegarem a nós. Queremos agregar todos os que sentem ter chegado o momento da mudança. Chega de adiarmos a glória. Chega de negarmos tudo o que o Benfica pode e tem que ser. É tempo de nos mobilizarmos com mais força do que nunca. A todos os que já nos apoiam, tragam mais um. Estamos a 17 dias de um momento fundamental na vida do clube. Temos que avançar rumo à vitória, unidos e sem hesitações”, concluiu esse comunicado, que deverá ser desenvolvido esta tarde.