Homens armados invadiram uma escola na cidade de Kumba, nos Camarões, e dispararam indiscriminadamente contra as crianças, que estavam na aula. De acordo com o Gabinete das Nações Unidas de Coordenação dos Assuntos Humanitários, pelo menos seis menores morreram.

O ataque aconteceu por volta do meio-dia deste sábado. Os atacantes chegaram em motas e vestido com roupas civis. “Encontraram as crianças na aula e dispararam sobre elas”, disse Ali Anougou, sub-prefeito de Kumba, à Reuters.

As autoridades locais confirmaram a morte de pelo menos seis crianças, com idades compreendidas entre os 12 e os 14 anos. Outras oito foram transportadas para o hospital com ferimentos. Os números avançados pelo Gabinete das Nações Unidas de Coordenação dos Assuntos Humanitários é, contudo, maior — de acordo com este organismo, as vítimas são oito e há 12 crianças feridas. Algumas das crianças terão sido esfaqueadas.

Segundo a Reuters, Anougou e outro oficial atribuíram a autoria do ataque aos separatistas, mas não apresentaram qualquer evidência nesse sentido. A região é palco de um conflito entre o exército camaronês e grupos separatistas que querem criar um estado livre chamado Ambazonia na zona oriental do país, onde se fala inglês. Desde 2017, esta luta já provocou a morte de centenas de pessoas e gerou centenas de deslocados, impedindo muitas crianças de irem à escola, lembra a mesma agência de notícias.

No ano passado, as autoridades camaronesas acusaram os separatistas de raptarem dezenas de crianças de escolas, uma acusação que foi negada pelos líderes do movimento separatista.