Não há dúvida: os portugueses preferem comprar casa. Segundo estatísticas da União Europeia, 73,9% dos portugueses é dono da sua própria casa (incluindo os que ainda estão a pagar o imóvel ao banco). Mas será que comprar casa é a melhor opção para toda a gente? A verdade é que não existe uma resposta certa. Há que analisar a sua situação económica e pessoal atual e futura antes de tomar uma decisão — e qualquer que seja essa decisão, pode fazer um seguro para proteger o que é seu.

Comprar é um investimento a longo prazo

Comprar casa é o sonho de muitos portugueses — ser dono da sua habitação é algo que traz segurança e estabilidade a muitas famílias. Não está dependente de contratos com senhorios, por isso o tempo de permanência na casa é uma decisão apenas sua. Se estiver interessado em fazer pequenas obras e melhorias, está a investir num espaço que é seu.

Comprar casa é um grande compromisso em termos financeiros. Uma das primeiras coisas que deverá tentar perceber é a situação económica do país e do mercado imobiliário, que costuma ser cíclica. Por norma, um imóvel é um bem que irá valorizar. No entanto, não é garantido. Comprar casa num momento oportuno é chave para garantir que é um investimento com retorno.

Uma das principais vantagens de comprar casa é que as rendas de pagamento de empréstimo aos bancos são, por norma, mais baixas do que as rendas a um senhorio. No entanto, há que analisar a sua situação financeira antes de dar este passo, uma vez que a compra de uma casa significa um grande investimento inicial, e a variação da taxa de juro pode influenciar o valor das “rendas de empréstimo” ao banco.

Uma vez que os bancos não fazem empréstimos de 100% do valor da casa, é necessário que tenha poupado uma entrada considerável para a compra do imóvel — pelo menos, 20% do valor total. Quanto maior for este valor de entrada, melhor serão as condições do empréstimo que conseguirá negociar com o seu banco.

É importante também ter em conta que o processo de contrair um empréstimo habitação e proceder à compra é longo, burocrático: implica algum esforço, tempo e dinheiro — alguns milhares de euros que deve ter em conta no seu investimento inicial.

Por fim, é importante não esquecer que ser dono de um imóvel implica ainda outros custos fixos a longo prazo: impostos, gastos em obras de melhorias e manutenção, condomínio e seguros de vida e multirrisco que estão relacionados com o empréstimo. Os seguros Tranquilidade, de casa e de vida associado ao crédito da casa, são uma ótima opção.

Assim, os benefícios de comprar casa são um balanço entre um bom negócio de compra, a poupança que terá na renda e os custos a longo prazo. Esta pode ser a melhor opção para casais e famílias em situação laboral estável que procuram fixar-se num local e ter estabilidade para crescer em família. No fim do empréstimo, terá um imóvel que é seu, que representa um investimento valorizado e que pode, por um lado, assegurar habitação para a sua família ou, em alternativa, ser usado como fonte de rendimento através do arrendamento.

Arrendar traz liberdade e flexibilidade

Arrendar é usualmente visto como a opção menos favorável, uma vez que, apesar de pagar uma renda possivelmente elevada, o imóvel nunca será seu. Apenas 26% dos portugueses optam por arrendar. Mas será que não existem vantagens no arrendamento?

O arrendamento acaba por ser a opção mais viável para algumas pessoas. Jovens em início de carreira, que ainda não conseguiram juntar dinheiro necessário para dar entrada numa casa, veem no arrendamento uma oportunidade acessível para ganharem a sua liberdade individual.

Ser arrendatário implica também não ter que assumir responsabilidades custosas — como impostos, custos de manutenção, condomínios ou seguros obrigatórios —, uma vez que estas são, por lei, uma responsabilidade do proprietário.

Uma das principais vantagens do arrendamento é a facilidade em mudar. Não gosta dos seus vizinhos? Preferia viver num bairro com melhores espaços de lazer? Mudou o seu local de trabalho e precisa de melhores acessos e transportes? A família cresceu e precisa de mais espaço em casa? Mude-se! Arrendar traz liberdade e facilidade em trocar de casa, sem grandes burocracias ou investimentos.

É a escolha ideal para quem tem uma profissão que implique mobilidade, para quem ainda não tem a certeza de querer fixar-se num local ou simplesmente para quem tenha vontade de mudar de cenário com regularidade.

Há também vantagens económicas nesta opção. Além de não gastar nos custos fixos que uma casa tem (e dos quais já falámos), o arrendamento pode ser uma opção melhor quando as taxas de juro estão muito altas. Além disso, permite rentabilizar melhor as suas poupanças. Comprar casa implica um investimento avultado de entrada. Esse capital poderia ser aplicado em produtos financeiros ou investido, gerando retorno. Não gastar este “bolo” poupado na entrada de uma casa pode também ser vantajoso caso surja a oportunidade de investir em negócio próprio ou fazer uma mudança de vida.

O que é sempre nosso

Para quem compra casa, o seguro é uma segurança para o seu investimento. Mas e se apenas arrenda casa? Faz sentido preocupar-se em fazer um seguro? A verdade é que sim. Apesar do imóvel pertencer ao senhorio, há algo que é seu: o recheio. E, por isso, precisa de um seguro para o proteger. Desde mobiliário a peças de décor, dos eletrodomésticos e equipamentos digitais que utilizamos no dia a dia aos nossos animais de estimação… o recheio da nossa casa é também o recheio da nossa vida.

Sabia que só em 2019 houve cerca de 10.961 furtos em residências com arrombamento, escalamento ou utilização de chaves falsas? Chegar a casa e ver as nossas coisas remexidas e perceber que fomos assaltados pode ser um golpe financeiro e um sentimento de perda e invasão de privacidade. Seja por valor comercial ou sentimental, proteger os nossos objetos é algo que não só devemos fazer, como é muito simples.

Foi a pensar em todas estas ocasiões que a Tranquilidade criou o seguro casa. Um seguro completo e flexível, que o protege dentro e fora de casa, não só os seus bens, mas também as pessoas e os animais — para que o mais importante para si, esteja sempre seguro.

Como funciona? É simples. Este seguro casa tem 5 níveis de proteção, desde a opção Base, que assegura os riscos mais comuns a um preço mais económico, à opção Premium, a proteção certa para quem tem uma casa e um recheio de valor mais elevado.

Proteção para senhorios

Mostrar Esconder

Embora uma posição desejável, nem sempre é fácil a responsabilidade de um senhorio. Por vezes, acidentes ou estragos imprevisíveis podem colocar-lhe em mãos despesas inesperadas. Mas não se preocupe; é possível fazer um seguro que cobre estas situações.

O seguro casa da Tranquilidade também se aplica aos senhorios, mesmo que a casa esteja arrendada.

Se arrenda a casa a várias pessoas, como por exemplo, estudantes, ficará descansado em saber que o seguro cobrirá danos e substituição caso, por acidente, se partam loiças da casa de banho, vidros da janela ou mesmo do polibã ou banheira, ou as pedras mármore das superfícies utilitárias ou decorativas.

Para quem vive da rentabilização dos seus imóveis, grandes imprevistos são uma preocupação. A crise que ainda enfrentamos da Covid-19, que retirou emprego a muitos portugueses, colocando a sua situação financeira em risco e comprometendo o pagamento das rendas, alertou muitos senhorios quanto aos riscos envolvidos no negócio, em caso de catástrofes naturais ou globais.

Para dormir sem preocupações, o seguro casa dispõe de um módulo “Senhorio”. Ao aderir a este módulo opcional, o senhorio encontra-se protegido caso algum acidente, garantido pelo seguro, deixe a casa temporariamente desabitável — pagando o valor das rendas que o senhorio deixou de receber.

Se vive numa casa arrendada, mas os eletrodomésticos lhe pertencerem, um dos maiores pesadelos pode ser uma avaria nos mesmos que implique um distúrbio do funcionamento da casa (como uma avaria do frigorífico) ou que represente um custo grande que não contava ter naquele mês. O seguro casa da Tranquilidade assegura-lhe o envio de um técnico a casa para reparar a avaria e ainda paga as peças avariadas até ao valor máximo de 300€, dependendo da opção de seguro que tiver. Tão simples e cómodo, para que possa retomar o dia a dia o mais rapidamente possível.

Ao contrário de seguros tradicionais para a casa, que implicam, por vezes, subir para um nível premium para obter determinada proteção especial, a Tranquilidade dispõe de módulos opcionais. Nem todas as proteções são úteis ou necessárias a todos, e, por isso mesmo, os módulos opcionais dedicam-se a temas específicos que podem ser incluídos no seu seguro casa, como por exemplo: proteção de animais domésticos, veículos em garagem, roubo de material desportivo fora de casa, acidentes pessoais e ainda pode garantir os bens do seu filho durante o período de aulas, caso esteja a estudar e a morar noutro local em Portugal.”

Se arrenda um apartamento em que parte da mobília pertence ao seu senhorio, é natural que a preservação desses bens seja importante para que não cause problemas entre as duas partes. O seguro casa da Tranquilidade disponibiliza um módulo “Inquilino”, opcional, que cobre a reparação ou substituição de algum objeto que pertença ao senhorio, como mobílias, eletrodomésticos ou loiças e que tenham ficado danificados em caso de acidente garantido pelo seguro.

Com tantas opções, o seu seguro é só seu — único e completamente adaptado a si e ao que mais lhe importa.

Saiba mais em
https://observador.pt/seccao/observador-lab/poupe-quando-proteger/