Portugal é um dos países mais seguros do planeta e, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna de 2019, a criminalidade no país tem vindo a descer de forma sustentada ao longo dos últimos anos. Mesmo assim, só no ano passado, houve 10.961 assaltos a casas por arrombamento, escalamento ou utilização de chaves falsas.

Infografia: Joana Figueirôa

Os roubos e intrusões preocupam-nos sempre, mas quando se trata de proteger aquilo que é nosso, é preciso ir mais além e pensar na segurança em termos mais amplos. Os acidentes, por exemplo, ocorrem quando menos se espera e, de acordo com os dados do Sistema EVITA (Epidemiologia e Vigilância dos Traumatismos e Acidentes), coordenada pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, mais de metade dos acidentes que obrigam a recorrer às urgências dos serviços de saúde públicos acontecem em casa. Mesmo um pé torcido pode causar bastante transtorno, especialmente nos tempos de pandemia que vivemos. Por vezes, será necessário recorrer à prestação de cuidados ao domicílio, o que as instituições públicas têm dificuldade em assegurar e para os quais as organizações e empresas privadas apresentam custos que poucos portugueses podem suportar.

O melhor, mesmo, é ter a seu lado um seguro que o apoie em todas estas situações. E não, não precisa de ter mais do que um. O Seguro Casa da Tranquilidade vai muito além das quatro paredes.

Numa fração de segundo, tudo pode mudar

Com certeza que não quer pensar num acontecimento destes, mas é sempre bom precaver-se e há várias maneiras de tornar a sua casa mais segura (ver caixa Proteger a Casa é Proteger a Vida). Na verdade, é preciso pensar em quase tudo porque, por mais protegida que uma casa se encontre, não podemos negar estatísticas como a que citamos no início deste artigo. E por mais medidas que se tome para evitar acidentes, não podemos esquecer que, muitas vezes, num segundo de distração ou descuido, podemos comprometer a integridade da habitação ou da saúde de quem ali vive.

Proteger a casa é proteger a vida

Mostrar Esconder

Uma casa, própria ou arrendada, é a conquista de uma vida e ninguém pode deitá-la a perder. Saiba como evitar os acidentes mais comuns:

  • A instalação elétrica está em bom estado ou há risco de curto circuito? Se a sua casa é antiga, consulte um eletricista experiente e faça uma revisão ao quadro e à instalação elétrica;
  • Quanto às tomadas na parede, cuide para que estejam sempre em bom estado. Se usar extensões, escolha as de boa qualidade e evite ligações em demasia;
  • Sabia que a acumulação de resíduos no filtro do exaustor do fogão pode fazê-lo incendiar-se? Vigie-o e regularmente;
  • Se tem lareira, nunca deixe o fogo sozinho e tenha a máxima atenção às crianças: nunca as deixe chegarem perto;
  • A iluminação exterior da sua casa favorece entradas e saídas noturnas em segurança? Prefira lâmpadas mais fortes e evite ter arbustos ou outros elementos que escondam a porta de entrada. Quanto mais visibilidade, menos os ladrões se aproximarão;
  • Tem a certeza de que os fechos das janelas e as fechaduras das portas exteriores são de confiança? Saiba que a sua resistência é, por si, um dispositivo de segurança contra intrusões. Verifique também as dobradiças e não permita que sejam fáceis de retirar pelo lado de fora;
  • Para evitar acidentes domésticos, mantenha os tapetes bem esticados e, se tem crianças, proteja os cantos dos móveis;
  • Os vidros, mesmo se resistentes, são pontos de fragilidade e podem causar danos graves em caso de acidente. Evite pisos escorregadios, falta de iluminação e objetos como banquetas ou brinquedos na sua proximidade, principalmente se forem de grandes dimensões;
  • Se tem piscina, considere a colocação de uma vedação. É a melhor forma de evitar os acidentes com crianças e jovens.

Bem sabemos que, quando trabalhamos arduamente para ter uma casa em que nos sentimos bem e um estilo de vida que nos é agradável, queremos que nada nos impeça de usufruir as nossas conquistas. Imagine que a extensão do quarto do seu filho inutiliza um equipamento informático ou que lhe roubam a bicicleta em pleno passeio? E hoje em dia, que tantas vezes os jovens vão estudar para fora da sua região, o que pensar diante de um semestre arruinado pelo furto de materiais de estudo? Mais uma vez, a prevenção tem de falar mais alto pois recuperar certas perdas pode ter custos incomportáveis.

Infografia: Joana Figueirôa

Casa arrendada, vigilância dobrada

Segundo dados do Eurostat, em Portugal, a maioria das pessoas tem casa própria (74,5% em 2018). Sabe-se ainda que, entre estas, muitas têm a chamada segunda habitação, frequentemente arrendada a terceiros. Se é o seu caso, tem toda a vantagem em contratar um seguro com coberturas para acidentes e responsabilidade civil para a casa que arrenda.

Infografia: Joana Figueirôa

Vale a pena lembrar que além do edifício, é vantajoso proteger também o recheio e, assim, assegurar que tudo tem a proteção necessária. E se, por outro lado, mora numa casa arrendada, também terá vantagens em contratar um seguro que garanta os danos em bens do senhorio, para o caso de ocorrer alguma perda em equipamentos ou móveis que façam parte do arrendamento.

Percalços de quatro patas

Os animais de companhia são verdadeiros amigos e, em Portugal, tem-se observado, nos últimos anos, uma grande evolução no que toca aos seus direitos. O que não é de admirar, num país em que mais de metade dos lares possui um animal de estimação, segundo o estudo Track.2Pets de 2018, realizado pela consultora GfK, que indica, ainda, que o tratamento dado a estes animais nunca foi tão humanizado como atualmente.

Infografia: Joana Figueirôa

Por sua vez, um inquérito da Deco revela que os gastos anuais com estes verdadeiros membros da família podem ultrapassar os 1.000,00€ — e aqui não estão contemplados acidentes ou danos que eles possam causar a terceiros. É, por isso, muito importante garantir a sua proteção e a de quem os rodeia.

Um seguro para toda a vida

Possivelmente concordará connosco: estar protegido é muito importante e é fundamental proteger as diferentes vertentes da sua vida. É o que faz um bom seguro, e entre a vasta oferta do mercado, o Seguro Casa da Tranquilidade dá-lhe todas as garantias principais. Este seguro é uma nova forma de proteger a sua casa e vai muito além das paredes: protege o edifício, as pessoas, os animais domésticos e o recheio, incluindo material eletrónico e de desporto. Muito flexível, disponibiliza cinco opções com coberturas que lhe permite escolher e obter a proteção adequada às suas necessidades. É um seguro para as eventualidades da sua vida, da sua família e das mais variadas situações que envolvem a saúde e os bens materiais também fora de casa. Consulte um mediador e comprove por si mesmo em Tranquilidade.pt.

Saiba mais em
https://observador.pt/seccao/observador-lab/poupe-quando-proteger/