Quente: as startups portuguesas e a talk sobre o TikTok. Até pareceu a Web Summit de antigamente

O dia custou a aquecer, mas nada que um bom aquecedor, perdão, que uma boa startup portuguesa não resolvesse. Neste caso, foram três — tal e qual Reis Magos, que tiveram compaixão pelo nosso desalento e nos deram um presente por ainda não termos desistido.

Primeiro, a 360imprimir, que fechou uma ronda de investimento de 32 milhões coliderada pelo Banco Europeu de Investimento — banco esse que aproveitou a deixa e revelou na Web Summit que a Europa vai ter um fundo de 150 milhões só para investir em inteligência artificial. Depois, foi a DefinedCrowd, de Daniela Braga, que já noutra edição da Web Summit tinha feito disparar termómetros. Desta vez, anunciou que está a lançar várias “bases de dados de alta qualidade para o processamento de discurso” em várias línguas. Vão estar disponíveis a partir do início de 2021 e a primeira é em português europeu. Por último, ficámos a saber que o projeto SMART, que agrega investigadores de cinco instituições portuguesas, foi o vencedor da 1.ª edição do concurso AI Moonshot Challenge e vai receber 500 mil euros para desenvolver um projeto de combate à poluição nos oceanos.

Já estávamos a sentir os pés bastante frios outra vez — nove horas depois, quem nunca arrefeceu? — quando Gary Vaynerchuk e Blake Chandlee, vice-presidente do TikTok, nos entraram pela sala, perdão, pelo ecrã adentro. E até parámos o que estávamos a escrever noutro separador para ouvir com a máxima atenção, porque, esperem lá: Queres ver que a Web Summit, afinal, só começou agora? Entusiasmo e espontaneidade genuína, que não atrapalharam a discussão de vários assuntos sérios — da privacidade dos dados à China, com a Casa Branca pelo meio — e que nos fizeram soltar um: Estava a ver que não. 

Morno: hoje foi o dia em que tivemos saudades da robô Sophia. E se isto não é morno, não sei o que vos diga

É inevitável: quase tudo o que dizemos com bastante certeza volta mais cedo ou mais tarde para nos assombrar. Neste caso, não foi preciso esperar muito tempo. Bastou um ano, quase 13 meses. E aqui estou eu, humildemente, a pedir desculpa à Sophia pelo que escrevi na última Web Summit: Por favor, não leves a mal. Sabes bem que quando disse que já ninguém te aguentava foi da boca para fora. Foram os nervos, aliás. Nem sequer fui eu. Não sei se este conjunto de lugares-comuns me vai levar a algum lado — às pazes, era o que queria escrever –, mas a verdade é que quando hoje, numa conversa de WhatsApp, alguém-que-não-vou-identificar escreveu Não sei quanto a vocês, mas estou a sentir falta de robôs nestas conferências. A Sophia? foi como se um pequeno microchip hiperventilasse dentro de mim. Era isso mesmo que faltava.

Termómetro da Web Summit: Por favor, já ninguém aguenta a robô Sophia

A falta que a Sophia faz ilustra bem esta Web Summit digital — reproduzir em perto de 10 horas de conferências online um evento com a dinâmica da Web Summit é esgotante. É anti-natura. A velocidade a que tudo acontecesse ininterruptamente, no silêncio do nosso computador, vai contra aquilo que é a génese do evento e deixa-nos numa espécie de letargia. Isto é real ou não é? E é por isso que este nosso dia foi quase sempre morno. E dormente.

Frio: sei que isto é estranho de entender, mas ainda estamos em Lisboa e não em Tóquio. Certo?

A manhã foi marcada por um anúncio além-fronteiras. Ainda nos estávamos a habituar a esta ideia de a Web Summit em 2020 ser em Lisboa, mas afinal não ser bem, quando Paddy Cosgrave anunciou que tinha assinado um acordo com o governo japonês para fazer cinco edições de uma Web Summit Tokyo a partir de 2022. Ora, até aqui tudo bem, mas podemos voltar a Lisboa?

Web Summit vai ter evento em Tóquio em 2022. E outro no Brasil

Na conferência de imprensa virtual que Paddy teve hoje com jornalistas, as respostas (e as perguntas selecionadas) focaram-se muito mais nesta parceria com Japão e sobre Lisboa ouviu-se muito pouco. As perguntas que deixei na “caixa” para o efeito foram estas: Que impacto é que vai ter esta Web Summit Tokyo na Web Summit Lisbon, visto que acontecem com dois meses de diferença? Ainda assim, espera ter mais de 100 mil pessoas em Lisboa em 2022? Não obtive resposta, terá de ficar para uma outra entrevista. Mas não me vou esquecer. Amanhã medimos a tempertaura outra vez nesta Web Summit online. Até lá.