Patron of the Arts do Village Underground

A cultura continua a ressentir-se com as restrições ditadas pela pandemia. De forma a garantir a subsistência do espaço, em Alcântara, o Village Underground criou uma t-shirt, cuja etiqueta equivale a dois bilhetes para um concerto em 2021. Mesmo que a agenda para o próximo ano continue a ser uma incógnita, uma coisa é certa: os primeiros nomes a atuar serão sempre os dos artistas que viram os seus concertos cancelados em 2020, entre eles Milton Gulli, Cachupa Psicadélica e LOT. A t-shirt da iniciativa Patron of the Arts custa 35 euros, mas pode ser adquirida com uma risografia da artista Mariana Simão (50 euros) e ainda com uma garrafa de vinho (60 euros).

© Divulgação

Consoada, o cabaz da Maria do Pomar

Os cabazes voltaram em força e alguns com uma intenção solidária. O da Maria do Pomar é um deles. Chama-se Consoada, uma vez que traz lá dentro uma seleção de produtos obrigatórios na mesa de Natal — bacalhau, couve portuguesa, azeite, cebola, alho, grão de bico, nabo, batatas, vinho tinto e bolo-rei. Num serviço cuja especialidade é fazer chegar de produtos frescos porta a porta, este cabaz não tem custos de entrega. O preço é 49,99 euros e 10% desse valor reverte para a Rede de Emergência Alimentar, que abrange todo o território nacional.

© Divulgação

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Linces e atuns, os peluches da Associação Natureza Portugal

A associação, que opera como braço da World Wide Fund for Nature em Portugal, lançou uma campanha de apoio à conservação de duas espécies ameaçadas: o lince ibérico e o atum-rabilho. Através da plataforma Defensores da Natureza, criada especialmente para esta época, os mais pequenos podem dar voz aos avatares de ambos os animais. A par da estratégia de sensibilização, é ainda dada a possibilidade de, por 25 euros, adotar uma das espécies. Nesse caso, é enviado um peluche que corresponde ao animal escolhido. O valor reverte na totalidade para os projetos de conservação da ANP|WWF.

© Divulgação

Imago x Thirst Project

Esta marca portuguesa de vestuário uniu-se à Thirst Project, organização que, desde 2008, se dedica a providenciar água potável a comunidades espalhadas por todo o globo. Como é que a Imago se propõe a ajudar? Na compra de uma t-shirt, sweatshirt, boné ou carteira, a marca doa 1 euros para financiar a construção de um furo em Essuatíni, antiga Suazilândia, no sul de África. Esta será a segunda fonte de água potável criada no país com ajuda portuguesa e, segundo a marca, permitirá abastecer uma comunidade de centenas de pessoas durante 40 anos. Preços entre 20 e 54 euros.

© Imagem retirada do site

Natal a Meias da Calzedonia

As meias são uma das lembranças clássicas de Natal e a campanha anual da Calzedonia, em parceria com a TVI, também já soa a algo familiar. O modo de funcionamento mantém-se — na compra de um par de meias de 5 euros (para homem, mulher e criança), metade do valor é doado –, bem como a causa, que continua a ser a aquisição de material para a Liga dos Bombeiros Portugueses. Até ao dia 24 de dezembro, a marca espera vender 100 mil pares de meias, o que representará um donativo de 250 mil euros. A verba será usada para comprar três ambulâncias e uma centena de fatos de proteção individual.

© Divulgação

Charity Pot Coin da Lush

Lançado em 2007, o Charity Pot da Lush já angariou 58 milhões de euros em todo o mundo para pequenas associações cuja ação vai da proteção animal e da conservação do meio ambiente à defesa dos direitos humano. Em 2020, este produto clássico, um hidratante corporal de textura cremosa à base de manteigas de cacau e karité e de aloe vera, ganhou uma nova versão. Sólida, com uma fórmula vegana e sem embalagens, a Charity Pot Coin está mais sustentável. Mas a vertente solidária não mudou em nada. Este produto custa 1,50 euros, valor que reverte na totalidade para as causas a que a marca se associa, ano após ano.

© Divulgação

Zoe Pet Locket da Mel Jewel

Este não é um pendente qualquer. A Mel Jewel, marca portuguesa de joalharia, desenhou-o para que fosse usado numa coleira e, por isso, o presente ideal para um amigo de quatro patas. A Zoe Pet Locket, feita em prata com anho de ródio e disponível em todas as letras do abecedário, custa 55 euros e por cada peça vendida a marca doa 10 euros à SOS Animal, associação não governamental que assenta numa rede de voluntários espalhada pelo país.

© Divulgação

“Clarabóia e outras estórias” de Carlos Frias de Carvalho

Os versos são de Carlos Frias de Carvalho, as ilustrações da artista plástica Fernanda Fragateiro. Este Natal, o livro “Clarabóia e outras estórias”, ele própria integrado no Plano Nacional de Leitura, alia-se a uma boa causa. A campanha em questão vigora até dia 18 de dezembro e por cada livro vendido (custa 10 euros) 2,50 euros são doados à Casa das Cores, um centro de acolhimento temporário para crianças em perigo, em Lisboa. Pode ser adquirido diretamente na instituição ou através dos contactos: geral@msv.pt e 21 139 4431. Terá sempre uma dedicatória do autor.

© Divulgação

Gaveta do Avô Zé da Chuate

Eis outro clássico das festas: os chocolates. Estes, além de adoçarem a boca a quem os recebe, protagonizam uma campanha solidária levada a cabo pela marca portuguesa Chuate e apadrinhada por Pedro Barroso. Esta caixa de bombons de edição especial foi batizada de Gaveta do Avô Zé, uma homenagem do ator ao próprio avô. Custa 20 euros e por cada caixa vendida e doado um euro ao Centro de Apoio Familiar Pinto de Carvalho, instituição centenária que apoia crianças, jovens e famílias necessitadas em Oliveira de Azeméis, concelho onde a marca está sediada. As encomendas podem ser feitas no Facebook e no Instagram.

© Divulgação

Má Impressão no Maus Hábitos

Apoiar a produção artística num momento em que muitas outras necessidades de revelam prioritárias é um indício de esperança e só pode desembocar num presente especial. No Porto, o espaço cultural Maus Hábitos, em colaboração com a associação Saco Azul, também ela de âmbito cultural, lançam o projeto Má Impressão, com 14 risografias de artistas “amigos da casa”. Nomes como MaisMenos, Isaque Pinheiro e João Fonte Santa fazem parte desta primeira leva de trabalhos, edições limitadas a 50 risografias e a uma dezena de provas de autor, todas a um preço único de 40 euros. À venda online.

Trabalho de Isaque Pinheiro © Imagem retirada do site

Ursinho da NOS

A campanha de Natal ficou no ouvido e o urso de peluche do anúncio tornou-se um objeto de desejo. A NOS resolveu resolveu trazê-lo para a vida real e, juntamente com os CTT, criar o Ursinho Presente. Custa 5,99 euros e é vendido na lojas NOS, já com o pacote para o envio gratuito, basta preencher as etiquetas de destinatário e remetente. O envio é gratuito. As receitas serão doadas na totalidade à Associação Coração Amarelo, que se dedica a combater a solidão junto dos mais velhos.

© Divulgação

Agenda Solidária 2021 da Animais de Rua

A Animais de Rua e a Quinta das Águias voltam a unir esforços por um objetivo solidário. As agendas para 2021 já estão à venda e contam com as ilustrações de 14 autores, incluindo Álvaro Siza Vieira, Eduardo Souto Moura, Vhils e Nuno Markl, entre muitos outros. Custa 8,75 euros, valor que reverte para esta associação que trata e alimenta animais que vivem na rua.

© Divulgação

Doarte

De uma união de fotógrafos portugueses nasce o projeto Doarte, uma espécie de galeria virtual onde todas as imagens estão à venda por um preço único de 20 euros. Vera Marmelo, Arlindo Camacho, Maique Madeira, Gonçalo F. Santos e Manuel Manso são alguns dos nomes que integram esta iniciativa solidária a decorrer até dia 31 de dezembro. A totalidade do valor das vendas reverte a favor da Associação Acreditar, mas precisamente para o apoio alimentar a famílias carenciadas, em Lisboa.

“You’ve Got a Mail”, fotografia de Manuel Manso © Imagem retirada do site