O apoio complementar ao Programa Europa Criativa, da Direção-Geral das Artes (DGArtes), vai garantir financiamento a 15 projetos, num montante total de cerca de 353 mil euros, anunciou esta segunda-feira aquele organismo estatal.

De acordo com a DGArtes, “são apoiados 15 projetos (número que corresponde ao total de candidaturas elegíveis) nas áreas de cruzamento disciplinar (seis projetos apoiados), teatro (três), artes plásticas (dois), circo contemporâneo e artes de rua (dois), fotografia (um) e música (um)”.

A DGArtes recorda que o apoio complementar ao Programa Europa Criativa “tem como principal objetivo potenciar a participação de entidades portuguesas em projetos já selecionados pelo Programa Europa Criativa (subprograma Cultura), permitindo assegurar parte do autofinanciamento exigido e aprovado nas seguintes linhas: Projetos de Cooperação Europeia (para entidades líderes ou parceiras); Plataformas Europeias (para entidades líderes)”.

Dos 15 projetos apoiados pela DGArtes, quatro são de entidades líderes/coordenadoras e 11 são de entidades parceiras”, lê-se no comunicado.

Do valor total disponível para este concurso, 450 mil euros, mais de metade (60%) destina-se às quatro entidades líderes, e o restante (40%) às 11 entidades parceiras, “sendo que, globalmente, foi solicitado à DGARTES um montante financeiro de 381.764,36 euros”.

“Tendo em conta os limites percentuais e o número de entidades líderes e parceiras elegíveis, será atribuído pela DGArtes um montante global de 353.135,39 euros, sendo a distribuição anual a seguinte: 145.810,93 euros (2020), 121.378,88 euros (2021) e 85.945,48 euros (2022)”, refere aquele organismo.

As candidaturas a este apoio decorreram entre 29 de outubro e 19 de novembro, e eram abertas a projetos de criação, programação, circulação, desenvolvimento de públicos, edição, investigação e formação, desenvolvidos em território nacional e/ou internacional, nas seguintes áreas artísticas: artes performativas (circo contemporâneo e artes de rua, dança, música e teatro), artes visuais (arquitetura, artes plásticas, design, fotografia e novos media) e cruzamento disciplinar.