Cerca de 30 mil alunos do ensino básico vão ser testados no início do segundo período para apurar como é que a suspensão das aulas presenciais afetou as aprendizagens. As provas fazem parte de um estudo do Ministério de Educação que vai envolver estudantes do  3.º, 6.º e 9.º anos, noticia o Público.

O estudo chama-se Diagnóstico de Aferição das Aprendizagens, arranca a 6 de janeiro e foi constituído com moldes semelhantes a outras iniciativas internacionais, como o PISA (Programme for International Student Assessment). A finalidade é sondar as aprendizagens nas áreas de Matemática, Ciências e Leitura e Informações.

Será um único teste, mas dividido em três partes, cada uma das quais deve ser completada em 30 minutos com um intervalo entre elas. No final, os alunos devem responder a um inquérito para aferir o método que cada escola adotou para concretizar o ensino à distância.

Os resultados destes testes serão publicados em março. Em função da prestação dos estudantes, o Ministério da Educação prevê que qualquer défice de aprendizagem seja colmatado ao longo deste e do próximo anos letivos. A questão é especialmente premente para os alunos do 9º ano, que farão exames em junho.