Em comunicado, a associação dos Amigos da Praia da Barra (AAPB) informa “com muita tristeza” que não poderá promover e organizar a edição de 2021 do “Banho dos Magníficos”, devido às “consequências originadas pela pandemia do Covid-19 que afetou o país e obrigam a várias limitações”.

“Pedimos a todos que queiram manter esta tradição que mantenham alguns cuidados como quanto às condições do estado do mar e que mantenham o distanciamento social e que sempre que possível usem máscara”, refere a mesma nota.

A tradição começou em 1981 por iniciativa de Eduardo de Sousa, conhecido por “Atita”, uma das figuras aveirenses mais carismáticas, que morreu em 2017, quatro dias após ter sido agraciado pelo Presidente da República com a Grã-Cruz da Ordem de Mérito Civil.

Em 2012, com a retirada de “Atita”, o legado passou para a AAPB que, desde então, tem mantido viva a tradição, atraindo cada vez mais “corajosos” a mergulhar nas águas frias do Atlântico no primeiro dia do ano, sob o olhar de centenas de pessoas.

“Uma coisa que esta pandemia nos ensinou foi que não podemos deixar promessas, mas vamos arriscar e deixar a promessa com a esperança que na edição de 2022 estaremos de volta com ainda mais força, para dessa forma continuarmos a lembrar o nosso querido amigo e a tornar ainda maior o Banho dos Magníficos na praia da Barra”, conclui a nota.

Em Portugal, morreram 6.619 pessoas dos 394.573 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.758.026 mortos resultantes de mais de 80,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.