Várias entidades regionais, entre as quais o presidente do parlamento da Madeira e o bispo do Funchal, estão em confinamento profilático depois de terem contactado com um caso positivo de coronavírus numa iniciativa no concelho da Calheta.

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira encontra-se em isolamento profilático por recomendação das autoridades de Saúde da região, diz um comunicado distribuído este sábado pelo parlamento madeirense. O documento refere que o centrista José Manuel Rodrigues “participou, no passado dia 30 de dezembro, na cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia da Calheta [zona oeste da Madeira], onde uma das pessoas presentes veio a testar positivo com SARS-CoV2 no dia 1 de janeiro”.

Devido a esta situação, o responsável do principal órgão de governo próprio da região cancelou a sua agenda, nomeadamente, “a sua participação no Concerto de Ano Novo da Orquestra Clássica da Madeira”. “José Manuel Rodrigues encontra-se bem e será testado nos próximos dias, só retomando a agenda quando for aconselhado pelas autoridades de Saúde”, adianta a informação.

A nota acrescenta que, “mantendo-se à distância a acompanhar os trabalhos da Assembleia, o presidente recorda a todos os residentes que o combate a este vírus, que assola o mundo inteiro e tem vindo a crescer na Região, depende das atitudes de todos os cidadãos”.

Na mesma situação está o bispo do Funchal, Nuno Brás, tendo a diocese confirmado que o prelado está a cumprir confinamento profilático, depois de ter estado na tomada de posse dos órgão sociais da Misericórdia da Calheta, “embora tenha mantido o distanciamento social e o uso de máscara”, razão pela qual “a agenda será suspensa até novas indicações das autoridades de saúde”.

Nesta cerimónia marcaram igualmente presença o presidente da Câmara Municipal da Calheta, Carlos Teles, que vai realizar o teste na próxima semana. Também a secretária da Inclusão Social e Cidadania da Madeira, Augusta Aguiar, esteve neste ato e já cancelou a sua agenda.

A Santa Casa da Misericórdia da Calheta ativou sexta-feira o seu plano de contingência depois de uma funcionária da instituição ter testado positivo para Covid-19.

De acordo com os últimos dados divulgados domingo pela Direção Regional de Saúde, a Madeira registou 76 novos casos, o número mais alto desde o início da pandemia, elevando as infeções ativas para 697 e existem outras 168 situações suspeitas em avaliação. Esta entidade refere que destas 697 infeções ativas, 177 são casos importados e 520 de transmissão local.

No total, a Região Autónoma da Madeira contabiliza 1.836 casos confirmados de covid-19 desde 16 de março e 14 óbitos associados à doença. Deste total de casos confirmados, 648 foram no concelho do Funchal, onde também residiam nove das pessoas que morreram.