Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Vimos a eficiência do André Silva e não foi por acaso que foi o segundo melhor marcador da Bundesliga após o recomeço depois da pandemia. Estamos convencidos de que o podemos levar ao mais alto nível e estamos muito felizes com a contratação. Tem um enorme potencial de desenvolvimento”, dizia Fredi Bobic em setembro, quando o Eintracht Frankfurt comprou a título definitivo o internacional português “apenas” por três milhões de euros ao AC Milan ao mesmo tempo que os transalpinos pagaram cinco milhões para ficarem com Ante Rebic.

O diretor desportivo do conjunto comandado por Adi Hütter sabia do que falava, ou não tivesse sido também mais de 40 vezes internacional pela Alemanha quando era avançado do Estugarda e do B. Dortmund, os dois clubes que em conjunto representou oito temporadas. E o internacional português não desiludiu, prolongando o melhor início de época na carreira com mais dois golos na goleada do Eintracht ao Arminia Bielefeld (1-5).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O jogador formado no FC Porto inaugurou o marcador aproveitando uma descoordenação da defesa contrária, rematando de pé esquerdo de primeira na área (25′), aumentando para 3-0 oito minutos depois (Kostic tinha feito antes o segundo do Eintracht) em mais um tiro de pé esquerdo ao ângulo após assistência de Kostic. Córdova ainda reduziu no  primeiro tempo mas Joakim Nilsson (51′, na própria baliza) e Jovic (75′) fecharam as contas do jogo, com o conjunto de Frankfurt, que esteve nove jornadas sem ganhar de outubro a dezembro (sete empates, duas derrotas), a fazer 16 pontos nos últimos seis encontros, subindo à quinta posição da Bundesliga.

No caso de André Silva, subiu ao segundo lugar da lista dos melhores marcadores do Campeonato com 14 golos, os mesmos de Haaland (B. Dortmund) e com menos oito do que Lewandowski, referência ofensiva do Bayern – e com um peso no ataque do Eintracht Frankfurt acima dos 40% (35 golos). Tendo ainda mais um remate certeiro em dois jogos na Taça da Alemanha, o avançado português já tem mais golos do que em toda a última época e está a seis dos 21 marcados no FC Porto em 2016/17 antes de sair para o AC Milan.