A Orquestra Metropolitana de Lisboa suspendeu todas as atividades performativas até dia 31 de março, na sequência da renovação do estado de emergência decretado pelo Governo, devido ao agravamento da situação pandémica, anunciou esta quinta-feira a instituição, em comunicado.

Face a esta decisão, a AMEC/Metropolitana informa que quem tiver bilhete para os eventos cancelados poderá pedir a devolução do seu dinheiro no mesmo local de venda onde o comprou.

As atividades performativas da Orquestra Metropolitana de Lisboa e de todas as suas formações académicas (Academia Nacional Superior de Orquestra, Escola Profissional da Metropolitana e Conservatório de Música da metropolitana) tinham sido já suspensas entre os dias 15 e 31 de janeiro, período para o qual foi decretado o estado de emergência.

Contudo, a sua renovação – com efeitos a partir de 31 de janeiro e até ao dia 14 de fevereiro -, levou a Metropolitana a estender a suspensão de todas as artes performativas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.253.813 mortos resultantes de mais de 103,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 13.257 pessoas dos 740.944 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.