Artigo atualizado às 17h50 do dia 15 de abril com a lista de convidados comunicada pelo Palácio de Buckingham e mais detalhes sobre o funeral 

Ainda que o príncipe Filipe não tenha optado por um funeral de Estado, os planos para a cerimónia fúnebre sofreram grandes alterações na sequência da pandemia. A longa lista inicialmente desenhada previa cerca de 800 convidados, um número impactante que iria encher a Capela de S. Jorge no Castelo de Windsor, a mesma que acolheu o mediático casamento de Harry e Meghan Markle em 2018. A dois dias do funeral, o Palácio de Buckingham revelou finalmente quem são os 30 convidados a marcar presença no evento privado e limitado, marcado para sábado, 17 de abril, a partir das 15h. Terá sido uma das decisões mais difíceis que a rainha teve de tomar logo após o desaparecimento do marido, que morreu na última sexta-feira aos 99 anos.

Como já antes tinha sido especulado, Isabel II vai estar acompanhada pelos membros seniores da família, incluindo Carlos, o príncipe de Gales, e a mulher, Camilla— é esperado que Carlos leia um elogio fúnebre no evento de sábado. Na curta lista constam ainda os nomes dos outros três filhos de Filipe: André, duque de Iorque, que abandonou a vida pública após o escândalo que o liga ao pedófilo Jeffrey Epstein, Eduardo, Conde de Wessex, e a princesa Ana. O marido de Ana, o vice-almirante Timothy Laurence, e a mulher de Eduardo, Sofia, Condessa de Wessex, também fazem parte da comitiva real.

Mais do que certa era a presença de William e de Kate, sendo que Harry aterrou em solo britânico na tarde de domingo e encontra-se em isolamento profilático de maneira a poder dizer um último adeus ao avô, a “lenda do churrasco e da brincadeira”, tal como descreveu no sentido comunicado divulgado no início da semana. Já Meghan Markle vai ficar em casa, em Montecito, nos EUA, uma vez que foi desaconselhada a viajar dado o avançado estado de gravidez — a ex-atriz está grávida pela segunda vez, agora de uma menina cujo nascimento está previsto para o verão de 2021. O reencontro de Harry com a restante família será certamente um dos pontos altos da ocasião, dada a polémica entrevista que os Sussex deram a Oprah Winfrey.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os restantes netos de Filipe —  Peter Phillips, Zara Tindall e o marido Mike, as irmãs Beatrice e Eugenie, bem como os respetivos maridos, e ainda os filhos de Eduardo, Louise Windor e James, Visconde Severn — também vão estar presentes no sábado, bem como Penelope Knatchbull, condessa Mountbatten da Birmânia, uma amiga próxima do duque de Edimburgo.

Apesar das opiniões divergentes na imprensa britânica, alguns dos primos da rainha constam na restrita lista: falamos do duque de Kent, do duque de Gloucester e da princesa Alexandra, neta de Jorge V. Seguem-se os filhos da princesa Margaret — o conde de Snowdon e lady Sarah Chatto e o marido. Há, no entanto, nomes a acrescentar à lista que ainda não tinham sido mencionados na imprensa britânica: é o caso de Bernhard, príncipe herdeiro de Baden, nobre alemão e sobrinho-neto de Filipe, Heinrich Donatus von Hessen, príncipe e chefe da casa alemã de Hesse, e Philipp, príncipe de Hohenlohe-Langenburg.

Certa já era a ausência dos três filhos dos duques de Cambridge — George, com sete anos, Charlotte, com cinco, e Louis, que completa três anos de vida a 23 de abril. William e Kate têm sido bastante protetores dos filhos, ao tentar afastá-los do olhar público e das pressões da realeza enquanto são crianças. O Evening Standard, por exemplo, destacava desde logo que os bisnetos de Isabel II, todos com menos de 10 anos, deveriam ficar em casa uma vez que o evento vai ser transmitido na televisão. A aposta foi ganha.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson já antes tinha deixado claro que não ia estar no funeral de sábado, preferindo ceder o seu lugar em favor da família e amigos do duque que morreu pacificamente aos 99 anos. De acordo com a BBC, os 30 convidados vão respeitar as distâncias de segurança ditadas pela pandemia e deverão usar máscaras. As pessoas que vão carregar o caixão e os membros do clero não estão incluídos na restrita lista de convidados.

Além da lista de convidados, outros detalhes foram revelados: William e Harry não vão caminhar juntos quando se juntarem aos membros seniores da realeza no cortejo fúnebre do duque de Edimburgo, isto é, estarão ambos ao lado do primo Peter Phillips quando caminharem atrás do caixão do avô no sábado. William vai passar à frente do irmão quando a família real chegar em pares, quando o caixão for levado para o interior a capela de São Jorge, no Castelo de Windsor. Além disso, o Palácio de Buckingham confirma que a rainha vai sentar-se sozinha no decorrer do funeral devido às restrições impostas pela pandemia. 

A igreja onde decorrá o último adeus não vai estar aberta ao público e os enlutados deverão prestar as devidas homenagens online. O príncipe Filipe foi o consorte real que mais tempo serviu na história da monarquia britânica e ficou ao lado da rainha Isabel II durante mais de 70 anos. Morreu poucos meses antes de completar, em junho, o seu 100.º aniversário.