A informação circulou na noite deste domingo, com uma fonte próxima da família real a adiantar à imprensa que as tréguas no seio do clã poderão estar à vista, conta o The Times. Ainda no Reino Unido, na sequência do funeral do duque de Edimburgo, o príncipe Harry terá conversado ao longo de duas horas com o seu pai, o príncipe Carlos, e com o irmão, o príncipe William, um encontro a que não terá faltado a Rainha. “Ainda é cedo mas esperemos que este seja o primeiro passo que Filipe tanto desejava”, diz uma fonte ao The Sun.

Os duques de Sussex e de Cambridge ter-se-ão reunido no Castelo de Windsor pela primeira vez desde a polémica entrevista de Harry e Meghan a Oprah Winfrey, sendo que o apoio à Rainha ter-se-á sobreposto neste momento à eventual discussão das críticas apontadas pelos Sussex nesse programa. Mais comedido nas apostas, o The Telegraph descreve que os principais membros da família se reuniram com a monarca durante uma hora, tempo precioso para apaziguar os ânimos.

A notícia coincide com uma outra, a de que Carlos e William irão reunir-se em breve com outros membros da família real britânica para decidir o futuro após a morte de Filipe e distribuir as funções desempenhadas pelo duque de Edimburgo.

Família real britânica decide futuro após morte de Filipe

O encontro de duas horas vem no seguimento da primeira aproximação no final da cerimónia fúnebre deste sábado. William e Harry, que caminharam separados pelo primo Peter Philips durante o cortejo em Windsor, acabaram por ficar à conversa lado a lado, depois de um cirúrgico afastamento de Kate Middleton que abriu espaço para os irmãos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Não é certo no entanto se Harry permanece no Reino Unido ou se já regressou aos EUA, com os mais próximos a recusarem revelar detalhes da viagem por razões de segurança. Acredita-se que o duque tenha viajado com a sua própria equipa de segurança, tendo seguido num voo da British Airways de Los Angeles para Heathrow quando voltou às origens.

Com a rainha Isabel II a cumprir 95 anos esta quarta-feira, especulou-se que Harry poderia prolongar a sua passagem pela Europa. No entanto, dificilmente o príncipe mudaria o plano inicial de regressar o mais cedo possível ao encontro de Meghan Markle e do filho Archie. De resto, esta não será uma data especialmente feliz para uma soberana recém-viúva.

Sendo impossível ignorar a ausência do duque de Edimburgo, a Rainha, que ainda cumpre o período de luto, deverá passar o dia apenas rodeada de uma restrita bolha de empregados. De acordo com o The Telegraph, a monarca deverá ainda ter um almoço tranquilo com os familiares mais próximos, cujos detalhes permanecem em privado.

Quanto ao tradicional hábito de partilhar uma foto oficial que assinala o aniversário de sua majestade, prevê-se que seja cancelado, devendo a data ser assinalada através das redes sociais associadas à família real britânica. O mesmo se aplica às tradicionais 41 salvas de tiros e 21 salvas de canhões, que pelo segundo ano consecutivo ficam sem efeito — em 2020 foram suspensas dado o contexto da pandemia de Covid-19. O  Telegraph adianta que mesmo antes da morte do príncipe Filipe os planos para a celebração do 95.º aniversário da monarca eram bastante comedidos, já que Isabel II pretendia que o foco estivesse no centenário do duque de Edimburgo. O príncipe, que morreu aos 99 anos, alcançaria a provecta marca no próximo dia 10 de junho.