Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Cupra, a marca desportiva da Seat, abraçou a mobilidade eléctrica ao apresentar o novo Born, um modelo 100% eléctrico concebido sobre a mesma base do VW ID.3, que deverá oferecer dimensões exteriores similares às do Leon, mas com um espaço interior mais generoso. Mas o construtor espanhol não abre mão do seu espírito desportivo, pelo que o Born promete ser o mais “assanhado” dos modelos a bateria do seu segmento.

Exteriormente, o Born distancia-se tanto quanto possível do VW ID.3, apesar de serem evidentes alguns traços comuns. Contudo, a traseira recorre ao mesmo arranjo estético do Cupra Leon, com um elemento transversal luminoso em LED, um extractor aerodinâmico e um generoso spoiler colocado sobre a tampa da mala, para optimizar a aerodinâmica. A frente também exibe uma solução distinta, sendo este o local onde são mais visíveis as aplicações cobreadas que embelezam o Born e que, de acordo com o fabricante, reforçam o ar desportivo.

7 fotos

Ligeiramente mais comprido do que o seu irmão ID do Grupo VW (4,32 m contra 4,26 m), o Cupra Born oferece uma bagageira com 385 litros e o mesmo habitáculo espaçoso, especialmente para as pernas de quem se senta atrás, parecendo dispor igualmente, através das fotos divulgadas, de materiais de melhor qualidade, acompanhando assim as opções dos veículos mais recentes produzidos sobre a plataforma MEB, do ID.4 ao Audi e-tron e ao Skoda Enyaq iV. Para reforçar as preocupações ambientais do modelo eléctrico, a Cupra monta bancos envolventes criados em associação com a Seaqual Initiative, a mesma empresa que fornece os revestimentos para os bancos do novo Fiat 500 eléctrico, recorrendo a matéria sustentável obtida a partir de plásticos recolhidos do fundo do mar para gerar o fio utilizado. Amiga do ambiente é igualmente a microfibra Dinamica, que pode ser usada no revestimento de assentos e painéis de porta.

Em matéria de equipamento, o Cupra eléctrico oferece soluções já conhecidas no grupo, como o head-up display de grandes dimensões projectado no pára-brisas, que recorre à realidade aumentada para se tornar mais intuitivo, além de soluções que automaticamente respeitam os limites de velocidade impostos pelos sinais de trânsito e pelos dados da navegação. O Born é ainda 100% conectado, oferecendo o Full Link e a ligação ao Apple Carplay e Android Auto completamente wireless. O comando por voz, accionado pela frase “Hola, Hola”, também está disponível, tal como noutros modelos do construtor espanhol.

Dois motores e, em breve, um terceiro com 231 cv

A plataforma MEB utilizada na construção do Born prevê a utilização de um ou dois motores, sendo que o principal é sempre colocado atrás. De momento, a Cupra ainda não anunciou um Born equipado com um motor por eixo e tracção integral, mas anunciou desde já que o primeiro modelo da marca alimentado exclusivamente por bateria ia usufruir de dois motores, com 150 cv (110 kW) e com 204 cv (150 kW). O primeiro garante a capacidade de ir de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos (com a bateria mais pequena), enquanto o segundo ultrapassa esta fasquia ao fim de apenas 7,3 segundos (com a bateria intermédia).

Para satisfazer os condutores que esperam um pouco mais de raça do Born, a Cupra anunciou já uma terceira mecânica, que surgirá em 2022. A base será o motor eléctrico de 204 cv, mas equipado com um software que lhe confere 27 cv adicionais através de um sistema denominado e-Boost. Assim que o condutor selecciona o modo de condução Cupra, o motor vê a sua potência subir de 204 para 231 cv, sempre que acelera a fundo. Isto explica que os 100 km/h fiquem para trás ao fim de 6,6 segundos, com a bateria intermédia, e 7,0 segundos para a bateria com maior capacidade.

Apesar da existência dos três níveis de potência, o motor eléctrico instalado no Cupra deverá ser sempre o mesmo, sendo apenas limitado para modelar a potência fornecida. O binário, a força fornecida pela unidade, é sempre a mesma, com as três versões a usufruírem de 310 Nm.

Três baterias para este espanhol feito na Alemanha

Desenhado em Espanha, o Cupra é fabricado em Zwickau, na Alemanha, dando continuação ao intercâmbio de produção de modelos, o que leva a que o Audi A1 seja produzido em Espanha, enquanto o Seat Tarraco vem da Alemanha. À semelhança de outros veículos concebidos sobre a plataforma MEB, como os VW ID.3 e ID.4 e Audi Q4 e-tron, o Cupra Born tem à disposição três capacidades de bateria, com a marca espanhola a decidir utilizar todas.

A primeira, com 45 kWh de capacidade útil, está apenas disponível com o motor de 150 cv e assegura uma autonomia de 340 km entre visitas ao posto de carga, sendo que será esta a versão mais acessível. A bateria intermédia deverá ser a mais procurada, já associada ao motor com 204 cv, com os seus 58 kWh de capacidade a permitirem percorrer 420 km, sempre de acordo com a norma WLTP, apesar de estes valores ainda estarem sujeitos a homologação. Esta bateria já permite que o cliente adquira o pack e-Boost, que torna o Born mais rápido ao elevar a potência para 231 cv.

O topo de gama eléctrico da Cupra será aquele que recorre ao pack Range, que monta um acumulador com 77 kWh. Este anuncia uma autonomia de 540 km, o que implicará igualmente um preço mais elevado. Para esta bateria mais generosa, a Cupra promete a capacidade de recarregar com potências de até 125 kW, o que lhe permite percorrer mais 100 km, depois de estar 7 minutos ligado a um posto de carga rápida.

Chega a Portugal em Outubro. E quanto a preços?

Segundo a Cupra em Portugal, o Born será passível de ser encomendado em Setembro, para as primeiras unidades vindas da Alemanha começarem a ser entregues aos condutores nacionais em Outubro. A fabricação do Born arranca em Zwickau em Setembro, o que coloca o nosso país na linha da frente entre os primeiros a acolher o eléctrico espanhol, provavelmente a seguir a Espanha e à Alemanha.

A Cupra avança que as negociações para fixar os preços para o nosso mercado ainda estão a decorrer, mas podemos socorrer-nos dos espanhóis, onde o Born já anunciou os preços das versões mais acessíveis. A versão com motor de 150 cv e bateria de 45 kWh é proposta em Espanha por 31.600€, para a acima exigir 36.720€, dando em troca um motor de 204 cv e acumulador com 58 kWh. As versões com os packs e-Boost e Range só divulgarão o seu preço posteriormente.

Comparado com o VW ID.3, os preços em Espanha do Born colocam-no entre 1000€ a 2000€ abaixo do “irmão” da VW. Face à diferença do IVA nos dois países (21% contra 23% por cá), não é impossível que o Born mais acessível se possa posicionar em torno dos 33.000€ a 34.000€, dependendo do nível de equipamento que a Cupra queira incluir de série no seu primeiro eléctrico.

Resta ainda saber se a marca irá avançar no nosso mercado com a opção de contratos de subscrição com pagamentos mensais, como forma de aceder ao modelo com menores custos e compromissos menos exigentes.